Sou mais um entre tantos...

Sou mais um entre tantos...
#FocoForçaeFé
A FILOSOFIA E A MISSÃO DESTE BLOG INCLUI A DIFUSÃO DA CULTURA E A UTILIDADE PÚBLICA.

"Cada pessoa, por si só, promove a sua indispensável transformação interna, transmutando o pesado chumbo do seu emocional, no ouro reluzente da Evolução Mental."

"Considere como é difícil modificar a si mesmo e você entenderá quão pouca chance tem ao tentar modificar outras pessoas." - Jacob M. Braude

"Seja em você a mudança que quer para o mundo" - Ghandi´

Aos preconceituosos e aos piadistas, sugiro que olhem para si mesmos antes de julgarem os outros... Quem aponta um dedo para alguém, aponta três para si mesmo.


Fé Esperança Caridade

Fé Esperança Caridade

Fé Esperança Caridade

Fé Esperança Caridade
Fé Esperança Caridade - Virtudes chamadas teologais porque têm a Deus por objeto de modo imediato. Pela fé nós aderimos ao que Ele revelou; pela esperança tendemos a Deus apoiando-nos em seu socorro para chegar a possuí-Lo um dia e vê-Lo face a face; pela caridade amamos a Deus sobrenaturalmente mais do que a nós mesmos. A minha Fé não é achar que Deus fará o que eu quero, mas basea-se na certeza de que Ele fará por mim tudo o que preciso.

Fé Esperança Caridade

Fé Esperança Caridade

Verbete Wikipédia

Verbete Wikipédia
Verbete Wikipédia

O BRASÃO

O BRASÃO
Visite o blog do Barão de Burity clicando no Brasão.
Meus livros são minha essência.

DOWNLOAD LIVRO DE MINHA AUTORIA.

DOWNLOAD LIVRO DE MINHA AUTORIA.
DOWNLOAD LIVRO DE MINHA AUTORIA - POR FAVOR, CLIQUE NO TÍTULO ABAIXO...
CRÉDITO DE IMAGENS
Algumas obtidas na internet e alteradas com programa de edição de imagem.

PARA MEDITAR...

"OS HOMENS PASSAM, A OBRA PERMANECE!"

"GARIMPANDO AMIZADES:
PERDI MUITOS DIAMANTES ENQUANTO OCUPADO GARIMPAVA NO MEIO DE FALSAS PEDRAS PRECIOSAS."

"NÃO ME IMPORTO COM O QUE OS OUTROS PENSAM DE MIM. IMPORTO-ME COM O QUE EU PENSO E COM O QUE FAÇO. EIS UMA DAS CARACTERÍSTICAS DO MEU CARÁTER."

"NINGUÉM É OBRIGADO A GOSTAR DE ALGUÉM, MAS EXISTE UMA COISA QUE SE CHAMA: RESPEITO!"
Nunca sabemos onde a vida nos levará. Tropeços e valores. Reviravoltas. Ficamos surpresos... Às vezes, no caminho um pensamento nos faz dizer: -"Este é o pior momento da minha vida". Mas quer saber ? No final do caminho, das diversidades mais difíceis, o que não nos mata - nos torna mais forte.
Agora as diversidades não importam. Eis o dilema! A vida é uma jornada e não um aleatório destino. Egresso da Baixada Fluminense... Ex-Marujo...
De bem com a vida - acordado e energizado - faço do escrever a minha terapia ocupacional.
Acima de tudo agradeço a Deus por tudo que tenho e sou. Não há como renegar as minhas origens. Quem renega as suas origens, nega a si mesmo.
Servir à Marinha:
Uma visão!
Um sonho!
Uma vida!


sexta-feira, 31 de julho de 2009

SOLENIDADE MÉDAILLE d´ARGENT

Medalha frente e verso








O Diploma

Recebendo Diploma e Medalha


♦♦♦♦♦♦♦

No dia 30 de julho de 2009, às 20 horas, em solenidade realizada na Casas das Beiras, recebi das mãos da Sra. Diva Pavesi – Membre, Administrateur e Déléguée: o Diploma da Médaille d´Argent e respectiva Medalha de Prata da Académique des Arts, Sciences et Lettres. Nas palavras de Diva Pavesi a Medalha da ASL é o reconhecimento aos serviços prestados à Cultura e, também, às atividades intelectuais e sociais por mim desenvolvidas.


♦♦♦♦♦♦♦

Algumas fotografias da solenidade


Elda, Elvandro e Daise


Elvandro e Betty Abrahão

Elvandro Burity e a Mesa Diretora (Eduardo Gomes de Souza - Grão-Mestre do GOB-RJ, Diva Pavesi - Membre Administrateur et Déléguée da ASL e Eliane Mariath Dantas - Presidente da FALARJ e ALAP)


Eduardo, Elvandro, Diva e Eliane ladeados pelos músicos das gaitas escocesas

A Revista CARAS publicou na Edição 823 - Ano 16 - Número 33 em: http://www.caras.com.br/imagens/97879/ a foto de Elvandro Burity após agraciado (mestre-de-cimônias da solenidade), acompanhado da artista plástica Marilza Casotti.

Fotos de Roberto Valverde.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

TEMPO



TEMPO

Oh! Tempo
Passas sem medidas
Deixando saudades
Alegrias também.

O tempo é assim
De segundo em segundo
No livro da eternidade
Tudo registra.

terça-feira, 28 de julho de 2009

VOCÊ SABIA?

POETRIX

Há quem defenda a opinião segundo a qual o que diferencia a poesia da prosa é o ritmo. Ainda assim, a poesia concreta despreza o ritmo; não seria ela, então, nem prosa nem poesia? O POETRIX insere-se no universo dos tercetos, possui padrão estrófico e rítmico. No espaço de três linhas surge o POETRIX aonde o que vem à tona é o conteúdo.

Não existem regras no POETRIX. No Manifesto Poetrix (Gomes, Goulart. Trix Poemetos Tropi-kais) foram identificadas algumas características principais, que contribuem para uma formatação, ainda não definitiva, ou seja: um terceto contemporâneo, de temática livre, com título, ritmo e um máximo de trinta sílabas, possuindo figuras de linguagem, de pensamento, tropos ou teor satírico.

O POETRIX tornar-se uma nova linguagem poética, que permite ao autor realizar altos voos num curto espaço, "desenganchar" o terceto, retirando-lhe as amarras, tornando-o contemporâneo. Com um título exercendo uma função completível, definindo-o ou sendo por ele definido.

O POETRIX pondera o Passado, Presente e Futuro como uma só dimensão, onde o TEMPO pode ser utilizado na adequação da dinâmica à velocidade da informação no ciberespaço em que vivemos. Um dos grandes enigmas da literatura brasileira tem sido: Onde termina (ou terminou) o Modernismo (M)? Um movimento considerado um divisor de águas. O livro "Os Cem Melhores Poetas Brasileiros do Século", tem a sua primeira parte intitulada "Pré-Modernismo", adotando o conceito de Alceu Amoroso Lima: "o que concede ao prefixo pré uma conotação meramente temporal de anterioridade". Nela estão reunidos poetas tão distintos quanto Machado de Assis! Estaria, a nossa literatura claramente dividida entre a.M e p.M? Mas o que aconteceu? Será que vivemos uma agradável "babel", onde todos se entendem. O conteúdo é forma que vem à tona... de qualquer forma! O Modernismo deu um tiro de misericórdia nas "escolas literárias" ou, como diria Raul Seixas, "faça o que tu queres pois é tudo da Lei".

O POETRIX é tipicamente modernista enquanto culturalmente antropofágico, deglutindo o que vem de fora, transformando-o em algo nosso ("é moderno ser moderno"). Melhor seria considerar o POETRIX como a busca por novas formas de expressão de criatividade ou, apenas um exercício do que preconizava o poeta gaúcho e mestre Mário Quintana (1906-1994): "Quem faz um poema abre uma janela."

No POETRIX o observador (autor), as personagens e o fato observado podem interagir, criando condições suprarrealistas ou ilógicas ("non sense").

Conceitos são bons até que surjam outros, melhores, que os substituam.

sábado, 25 de julho de 2009

UM HOMEM LIVRE





Um homem livre.






Um homem livre não se submete a
vontade ou pressão de ninguém.
Não se dobra ou se submete
ao domínio dos déspotas,
nem a vontade de pseudolideranças.

Um home livre tem que ser um Sol,
uma Estrela brilhante,
e não um satélite a girar em torno de outro,
como um parasita se alimentando
vivendo de sua luz e calor.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

MENSAGEM ELETRÔNICA RECEBIDA

----- Original Message -----
From:
To:
Sent: Thursday, July 23, 2009 9:47 AM
Subject: CARPE DIEM - APROVEITE O SEU DIA!

Minha mensagem pra você hoje. Com meu abraço.

CARPE DIEM ! Aí um dia você toma um avião para Paris, a lazer ou a trabalho, em um vôo da Air France, em que a comida e a bebida têm a obrigação de oferecer a melhor experiência gastronômica de bordo do mundo, e o avião mergulha para a morte no meio do Oceano Atlântico. Sem que você perceba, ou possa fazer qualquer coisa a respeito, sua vida acabou. Numa bola de fogo ou nos 4 000 metros de água congelante abaixo de você naquele mar sem fim. Você que tinha acabado de conseguir dormir na poltrona ou de colocar os fones de ouvido para assistir ao primeiro filme da noite ou de saborear uma segunda taça de vinho tinto com o cobertorzinho do avião sobre os joelhos. Talvez você tenha tido tempo de ter a consciência do fim, de que tudo terminava ali. Talvez você nem tenha tido a chance de se dar conta disso. Fim.

Tudo que ia pela sua cabeça desaparece do mundo sem deixar vestígios. Como se jamais tivesse existido. Seus planos de trocar de emprego ou de expandir os negócios. Seu amor imenso pelos filhos e sua tremenda incapacidade de expressar esse amor. Seu medo da velhice, suas preocupações em relação à aposentadoria. Sua insegurança em relação ao seu real talento, às chances de sobrevivência de suas competências nesse mundo que troca de regras a cada seis meses. Seu receio de que sua mulher, permaneça com você infeliz, tendo deixado de amá-lo ou vice-versa. Seus sonhos de trocar de casa, de carro, sua torcida para que seu time faça uma boa temporada, o tesão oculto que você sente por alguém e é contido por razões diversas. Suas noites de insônia, essa sinusite que você está desenvolvendo, suas saudades do cigarro. Os planos de voltar à academia, a grande contabilidade (nem sempre com saldo positivo) dos amores e dos ódios que você angariou e destilou pela vida, as dezenas de pequenos problemas cotidianos que você engole e que tinha anotado na agenda para resolver o mais breve possível ou assim que tivesse tempo. Bastou um segundo para que tudo isso fosse desligado. Para que todo esse universo pessoal que tantas vezes lhe pesou toneladas tenha se apagado. Como uma lâmpada que acaba e não volta a acender mais. Fim.

Então, aproveite bem o seu dia. Extraia dele todos os bons sentimentos possíveis. Não deixe nada para depois. Diga o que tem para dizer. Demonstre. Seja você mesmo. Não guarde lixo dentro de casa nem dentro de você. Não cultive amarguras e sofrimentos. Prefira o sorriso. Dê risada de tudo, de si mesmo. Não adie alegrias nem contentamentos nem sabores bons.
Seja feliz Hoje.
Amanhã é uma ilusão.
Ontem é uma lembrança.
No fundo.... Só existe o hoje.

E não esqueça de que você não tem o controle de nada, não é dono de nada!!!
Você apenas pensa que tem...

Autor desconhecido – Livre circulação na Web.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

MOMENTOS DE ALEGRIA E SATISFAÇÃO

Realmente, vez por outra, a vida nos proporciona momentos de alegria e satisfação. Comigo aconteceu quando pelo skype tive a oportunidade de conversar com um antigo companheiro de profissão: Hélio Purificação.

Hélio, gosta de criar curió e coleiro. Conversa vai... conversa vem... eu falei sobre livros, crônicas e poesias... mas o assunto foi parar na performance do coleiro "Engole Canto"

um pássaro muito firme, tricampeão de Campos. Tomei conhecimento que a ave canora teve direito a aparecer no youtube. Para quem gosta, vale conferir em: http://www.youtube.com/watch?v=1oGap8A5Pqg

Finalizando, transcrevo a poesia de Célia de Lima:

Pássaros

Eu os vejo
alados e mensageiros...
Pássaros de outra esfera
transpondo o canto
em sutileza de ave.

Eu os sei
ávidos de poesia
de verdade
e vida...
modelados a lado
e a gosto
dos vivos.
Quase deuses de si
quase autônomos
e imaginários.


Foi com grande alegria e satisfação que conversei com o Hélio, um baiano de boa cepa e que reside lá para as bandas de Campos dos Goytacazes.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

JORNAL DIVULGAÇÃO

O Jornal Divulgação - O jornal que facilita a sua vida - com circulação no Grande Méier e Cascadura - Zona Norte do Rio de Janeiro - na edição ANO 4 Nº 47 - Julho/2009 - publicou matéria referente ao pré-lançamento do livro EU, poetificando...

sábado, 18 de julho de 2009

CONVITE


Convite para o lançamento do livro:



EU, poetificando...


O produto da venda dos exemplares de uma maneira ou de outra destinar-se-á ao

Instituito Conselheiro Macedo Soares - ICMS - Abrigo para Meninas

Rua Aquidabã, 541 - Lins - Rio de Janeiro - RJ.

Caso haja interesse do leitor em fazer alguma doação para o ICMS. Por favor, entre em contato pelo telefone

0 xx 21 2269 1895

sexta-feira, 17 de julho de 2009

VINHO E CACHAÇA


VINHO

E

CACHAÇA



O vinho vem da uva
A cachaça da cana.
Vinho é coisa cara
Cachaça é diferente.
No vinho relembro as mágoas
Mas com a cachaça me embriago.
Nos dois afogo problemas
Problemas que me atormentam.

terça-feira, 14 de julho de 2009

ÉTICA, PAZ, SOLIDARIEDADE...

Com a crise das utopias e com a exposição brutal de um escândalo por dia, com a propaganda estimulando a ridícula liberdade para irrelevâncias, temos o indivíduo absolutamente sozinho.

Somos hoje sem limites morais em luta por um lugar ao sol. Ou pela fama ou por um golpe na praça. Queremos ser ricos ou famosos. A sobrevivência moderna precisa do crime, cada vez mais. E esse comportamento está deixando de ser uma exceção.
Hoje, temos de competir com pessoas, que em geral nos vencem, com sua eficiência, rapidez e falta de escrúpulos. Estamos vendo que, principalmente, a falta de escrúpulos, vai acabar virando uma virtude no futuro.
Ficou arcaíca a ideia de compaixão e um dia seremos tocados pela graça da insensibilidade.
Eis um prenúncio do futuro, quando todos seremos assim para sobreviver.
A velha luta pela ética, pela paz, pela solidariedade está virando uma batalha vã.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

A revista ISTO É publicou esta entrevista de Camilo Vannuchi.

Longa... mas é uma boa reflexão.

CUIDADO COM OS BURROS MOTIVADOS

(Entrevista com Roberto Shinyashiki)

A revista ISTO É publicou esta entrevista de Camilo Vannuchi. O entrevistado é Roberto Shinyashiki, médico psiquiatra, com Pós-Graduação em administração de empresas pela USP, consultor organizacional e conferencista de renome nacional e internacional.
Em 'Heróis de Verdade', o escritor combate a supervalorização das aparências, diz que falta ao Brasil competência, e não auto-estima.

ISTO É - Quem são os heróis de verdade?

Roberto Shinyashiki -- Nossa sociedade ensina que, para ser uma pessoa de sucesso, você precisa ser diretor de uma multinacional, ter carro importado, viajar de primeira classe.
O mundo define que poucas pessoas deram certo.
Isso é uma loucura. Para cada diretor de empresa, há milhares de funcionários que não chegaram a serem gerentes.
E essas pessoas são tratadas como uma multidão de fracassados.
Quando olha para a própria vida, a maioria se convence de que não valeu à pena, porque não conseguiu ter o carro, nem a casa maravilhosa.
Para mim, é importante que o filho da moça que trabalha na minha casa, possa se orgulhar da mãe.
O mundo precisa de pessoas mais simples e transparentes.
Heróis de verdade são aqueles que trabalham para realizar seus projetos de vida, e não para impressionar os outros.
São pessoas que sabem pedir desculpas e admitiram que erraram.

ISTO É - O Sr. citaria exemplos?

Shinyashiki -- Quando eu nasci minha mãe era empregada doméstica e meu pai, órfão aos sete anos, empregado em uma farmácia.
Morávamos em um bairro miserável em São Vicente (SP) chamado Vila Margarida. Eles são meus heróis.

Conseguiram criar seus quatro filhos, que hoje estão bem.
Acho lindo quando o Cafu põe uma camisa em que está escrito '100% Jardim Irene'.
É pena que a maior parte das pessoas esconda suas raízes.
O resultado é um mundo vítima da depressão, doença que acomete hoje 10% da população americana..
Em países como o Japão, a Suécia e a Noruega, há mais suicídio do que homicídio.
Por que tanta gente se mata?
Parte da culpa está na depressão das aparências, que acomete a mulher, que embora não ame mais o marido, mantém o casamento, ou o homem que passa décadas em um emprego, que não o faz se sentir realizado, mas o faz se sentir seguro.

ISTO É -- Qual o resultado disso?

Shinyashiki -- Paranóia e depressão cada vez mais precoce.

O pai quer preparar o filho para o futuro e mete o menino em aulas de inglês, informática e mandarim. Aos nove ou dez anos a depressão aparece.
A única coisa que prepara uma criança para o futuro, é ela poder ser criança.
Com a desculpa de prepará-los para o futuro, os malucos dos pais estão roubando a infância dos filhos.. Essas crianças serão adultas inseguras e terão discursos hipócritas.
Aliás, a hipocrisia já predomina no mundo corporativo.

ISTO É - Por quê?

Shinyashiki -- O mundo corporativo virou um mundo de faz-de-conta, a começar pelo processo de recrutamento.
É contratado o sujeito com mais marketing pessoal.
As corporações valorizam mais a auto-estima do que a competência.
Sou presidente da Editora Gente e entrevistei uma moça que respondia todas as minhas perguntas com uma ou duas palavras.
Disse que ela não parecia demonstrar interesse.
Ela me respondeu estar muito interessada, mas como falava pouco, pediu que eu pesasse o desempenho dela, e não a conversa. Até porque ela era candidata a um emprego na contabilidade, e não de relações públicas.
Contratei-a na hora.
Num processo clássico de seleção, ela não passaria da primeira etapa.

ISTO É - Há um script estabelecido?

Shinyashiki -- Sim. Quer ver uma pergunta estúpida feita por um presidente de multinacional no programa 'O Aprendiz'?
- Qual é seu defeito?
Todos respondem que o defeito é não pensar na vida pessoal:
- Eu mergulho de cabeça na empresa. Preciso aprender a relaxar.
É exatamente o que o Chefe quer escutar.
Por que você acha que nunca alguém respondeu ser desorganizado ou esquecido?
É contratado quem é bom em conversar, em fingir.
Da mesma forma, na maioria das vezes, são promovidos aqueles que fazem o jogo do poder.
O vice-presidente de uma as maiores empresas do planeta me disse:
'Sabe, Roberto, ninguém chega à vice-presidência sem mentir'.
Isso significa que quem fala a verdade não chega a diretor!

ISTO É - Temos um modelo de gestão que premia pessoas mal preparadas?

Shinyashiki - Ele cria pessoas arrogantes, que não têm a humildade de se preparar, que não têm capacidade de ler um livro até o fim e não se preocupam com o conhecimento.
Muitas equipes precisam de motivação, mas o maior problema no Brasil é competência.

Cuidado com os burros motivados.

Há muita gente motivada fazendo besteira.
Não adianta você assumir uma função, para a qual não está preparado.
Fui cirurgião e me orgulho de nunca um paciente ter morrido na minha mão.
Mas tenho a humildade de reconhecer que isso nunca aconteceu graças a meus chefes, que foi sábio em não me dar um caso, para o qual eu não estava preparado.
Hoje, o garoto sai da faculdade achando que sabe fazer uma neurocirurgia.
O Brasil se tornou incompetente e não acordou para isso.

ISTO É - Está sobrando auto-estima?

Shinyashiki - Falta às pessoas a verdadeira auto-estima.

Se eu preciso que os outros digam que sou o melhor, minha auto-estima está baixa.
Antes, o ter conseguia substituir o ser.
O cara mal-educado dava uma gorjeta alta para conquistar o respeito do garçom.
Hoje, como as pessoas não conseguem nem ser, nem ter, o objetivo de vida se tornou parecer.
As pessoas parecem que sabem, parece que fazem, parece que acreditam.
E poucos são humildes para confessar que não sabem.
Há muitas mulheres solitárias no Brasil, que preferem dizer que é melhor assim.
Embora a auto-estima esteja baixa, fazem pose de que está tudo bem.

ISTO É - Por que nos deixamos levar por essa necessidade de sermos perfeitos em tudo e de valorizar a aparência?

Shinyashiki - Isso vem do vazio que sentimos.

A gente continua valorizando os heróis.
Quem vai salvar o Brasil? O Lula.
Quem vai salvar o time? O técnico.
Quem vai salvar meu casamento? O terapeuta.
O problema é que eles não vão salvar nada!
Tive um professor de filosofia que dizia:
'Quando você quiser entender a essência do ser
humano, imagine a rainha Elizabeth com uma crise de diarréia durante um jantar no Palácio de Buckingham'. Pode parecer incrível, mas a rainha Elizabeth também tem diarréia.
Ela certamente já teve dor de dente, já chorou de tristeza, já fez coisas que não deram certo.
A gente tem de parar de procurar super-heróis, porque se o super-herói não segura a onda, todo mundo o considera um fracassado.

ISTO É - O conceito muda quando a expectativa não se comprova?

Shinyashiki - Exatamente. A gente não é super-herói nem superfracassado.
A gente acerta, erra, tem dias de alegria e dias de tristeza.
Não há nada de errado nisso..
Hoje, as pessoas estão questionando o Lula, em parte porque acreditavam que ele fosse mudar suas vidas e se decepcionaram.
A crise será positiva se elas entenderem que a responsabilidade pela própria vida é delas.

ISTO É - Muitas pessoas acham que é fácil para o Roberto Shinyashiki dizer essas coisas, já que ele é bem-sucedido. O senhor tem defeitos?

Shinyashiki - Tenho minhas angústias e inseguranças. Mas aceitá-las faz minha vida fluir facilmente.
Há várias coisas que eu queria e não consegui.
Jogar na Seleção Brasileira, tocar nos Beatles (risos). Meu filho mais velho nasceu com uma doença cerebral e hoje tem 25 anos.
Com uma criança especial, eu aprendi que, ou eu a amo do jeito que ela é, ou vou massacrá-la o resto da vida para ser o filho que eu gostaria que fosse.
Quando olho para trás, vejo que 60% das coisas que fiz deram certo.
O resto foram apostas e erros.
Dia desses apostei na edição de um livro, que não deu certo.
Um amigão me perguntou:
'Quem decidiu publicar esse livro?'
Eu respondi que tinha sido eu. O erro foi meu. Não preciso mentir.

ISTO É - Como as pessoas podem se livrar dessa tirania da aparência?

Shinyashiki - O primeiro passo é pensar nas coisas que fazem as pessoas cederem a essa tirania e tentar evitá-las.
São três fraquezas:
A primeira é precisar de aplauso, a segunda é precisar se sentir amada e a terceira é buscar segurança.
Os Beatles foram recusados por gravadoras e nem por isso desistiram.
Hoje, o erro das escolas de música é definir o estilo do aluno.
Elas ensinam a tocar como o Steve Vai, o B. B. King ou o Keith Richards.
Os MBAs têm o mesmo problema: ensinam os alunos a serem covers do Bill Gates.
O que as escolas deveriam fazer é ajudar o aluno a desenvolver suas próprias potencialidades.

ISTO É - Muitas pessoas têm buscado sonhos que não são seus?

Shinyashiki - A sociedade quer definir o que é certo. São quatro loucuras da sociedade...
A primeira é instituir que todos têm de ter sucesso, como se eles não tivessem significados individuais.
A segunda loucura é:
Você tem de estar feliz todos os dias.
A terceira é:
Você tem que comprar tudo o que puder. O resultado é esse consumismo absurdo.
Por fim, a quarta loucura:
Você tem de fazer as coisas do jeito certo.
Jeito certo não existe.
Não há um caminho único para se fazer as coisas.
As metas são interessantes para o sucesso, mas não para a felicidade.
Felicidade não é uma meta, mas um estado de espírito.
Tem gente que diz que não será feliz, enquanto não casar, enquanto outros se dizem infelizes justamente por causa do casamento.
Você pode ser feliz tomando sorvete, ficando em casa com a família ou com amigos verdadeiros, levando os filhos para brincar ou indo à praia ou ao cinema..
Quando era recém-formado em São Paulo, trabalhei em um hospital de pacientes terminais.
Todos os dias morriam nove ou dez pacientes.
Eu sempre procurei conversar com eles na hora da morte.
A maior parte pega o médico pela camisa e diz:
'Doutor, não me deixe morrer. Eu me sacrifiquei à vida inteira, agora eu quero aproveitá-la e ser feliz'.
Eu sentia uma dor enorme por não poder fazer nada. Ali eu aprendi que a felicidade é feita de coisas pequenas.
Ninguém na hora da morte diz se arrepender por não ter aplicado o dinheiro em imóveis ou ações, mas sim de ter esperado muito tempo ou perdido várias oportunidades para aproveitar a vida.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

ALGUMAS CONSIDERAÇÕES...

Algumas considerações ...

Segundo o Dicionário Eletrônico Aurélio:

Crítica
Filos. Reconhecimento do valor de uma idéia ou de um fenômeno, i. e., do grau de perfeição deles relativamente a um fim determinado; crítica.

Criticador
Aquele que tem por costume criticar, dizer mal de alguém ou de algo.

Crítica... crítica... contínuo não entendendo: - Qual razão para que algumas pessoas façam da crítica uma norma de conduta? Estou falando da crítica pela crítica que deixa qualquer grupo vulnerável e semeia a discórdia. Ou existe alguma dúvida quanto ao fato de que a administração é profundamente influenciada pelas pressuposições implícitas ou explícitas a respeito da natureza das pessoas? A disciplina e a motivação decorrem de algumas pressuposições. Por exemplo, McGregor identificou dois conjuntos de pressuposições, aos quais denominou Teoria X e Teoria Y.
A Teoria X - com uma abordagem tradicional e envolvendo as convicções negativas a respeito das pessoas ou seja com convicções negativas a respeito das pesssoas com moldagem em características autocráticas e impositivas. A Teoria Y -a abordagem moderna - envolve convicções positivas que levam assumir uma postura democrática e consultiva.
Na Teoria X - predomina a manipulação das pessoas, a coação e o temor. Por ela as pessoas são tidas indolentes e preguisoças e, portanto, precisam ser coagidas e ameaçadas.
Qual das Teorias você exercita? Eu prefiro a Teoria Y.

Respeito todas as opiniões. Sei ouvir. Mas que a crítica pela crítica, por excelência, é perniciosa. Se você der ouvido ao criticador, acabará desaguando naquele ping-pong de palavras para lá... palavras para cá... eu não disse isto... eu não quis dizer isto... não foi bem assim...
A quem interessar possa: - Com quase 70 anos de vida, cheguei à conclusão: - No trato com o costumeiro criticador, exprimo os versos populares: - " Era, não era, andava lavrando e tinha um filho chamado Fernando". Pessoas há que não compreendem o alcance desta filosofia. Ficam obtusos olhando para mim. "Era, não era andava lavrando e tinha um filho chamado Fernando. Cagando e andando e sendo aplaudido". Algo parecido com a filosofia do cavalo no desfile de 7 de Setembro.

A crítica, quando tiveres de fazê-la, deve ser positiva, com espírito de colaboração, construtiva, e nunca às escondidas do interessado. Se não, é uma traição, uma murmuração, uma difamação, talvez uma calúnia... e, sempre, uma falta de honradez. (Josemaria Escrivá)

Finalizando:

Quando apontares com um dedo, lembra-te de que outros três dedos teus apontam para ti.
(Provérbio inglês)

quarta-feira, 8 de julho de 2009

PAIXÃO...



Paixão é aquela coisa...
Meio louca...
Pontilhada...
de desejos carnais...
Algo fatal.
O amor é calmo
é construído.
Quem ama deseja
Mas... é cúmplice
e fã do outro.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

A RODA DA VIDA...

O movimento da roda do destino pode ser lento e cambaleante, mas é capaz de fazer a roda da vida girar.
A vontade de progredir deve ser o alimento do espírito e em torno dela devemos nos mobilizar e com ela , tentarmos reencontrar o sentido dos dias, encarando de frente a passagem do tempo.
O resultado é o que se sabe, se sente, se sofre e se vê. Estamos todos juntos neste mundo de causas e efeitos. Sócios da mesma orbe... Enquanto vivemos, o tempo somos nós que o fazemos...
A semeadura é livre e nos sujeita a uma obrigatória colheita do que cada um plantou.

Nas palavras de Machado de Assis (1839-1908),
escritor carioca:
"Escrever é uma questão de colocar acentos".


Cá para nós: Será?