Sou mais um entre tantos...

Sou mais um entre tantos...
#FocoForçaeFé
A FILOSOFIA E A MISSÃO DESTE BLOG INCLUI A DIFUSÃO DA CULTURA E A UTILIDADE PÚBLICA.

"Cada pessoa, por si só, promove a sua indispensável transformação interna, transmutando o pesado chumbo do seu emocional, no ouro reluzente da Evolução Mental."

"Considere como é difícil modificar a si mesmo e você entenderá quão pouca chance tem ao tentar modificar outras pessoas." - Jacob M. Braude

"Seja em você a mudança que quer para o mundo" - Ghandi´

Aos preconceituosos e aos piadistas, sugiro que olhem para si mesmos antes de julgarem os outros... Quem aponta um dedo para alguém, aponta três para si mesmo.


Fé Esperança Caridade

Fé Esperança Caridade

Fé Esperança Caridade

Fé Esperança Caridade
Fé Esperança Caridade - Virtudes chamadas teologais porque têm a Deus por objeto de modo imediato. Pela fé nós aderimos ao que Ele revelou; pela esperança tendemos a Deus apoiando-nos em seu socorro para chegar a possuí-Lo um dia e vê-Lo face a face; pela caridade amamos a Deus sobrenaturalmente mais do que a nós mesmos. A minha Fé não é achar que Deus fará o que eu quero, mas basea-se na certeza de que Ele fará por mim tudo o que preciso.

Fé Esperança Caridade

Fé Esperança Caridade

Verbete Wikipédia

Verbete Wikipédia
Verbete Wikipédia

O BRASÃO

O BRASÃO
Visite o blog do Barão de Burity clicando no Brasão.
Meus livros são minha essência.

DOWNLOAD LIVRO DE MINHA AUTORIA.

DOWNLOAD LIVRO DE MINHA AUTORIA.
DOWNLOAD LIVRO DE MINHA AUTORIA - POR FAVOR, CLIQUE NO TÍTULO ABAIXO...
CRÉDITO DE IMAGENS
Algumas obtidas na internet e alteradas com programa de edição de imagem.

PARA MEDITAR...

"OS HOMENS PASSAM, A OBRA PERMANECE!"

"GARIMPANDO AMIZADES:
PERDI MUITOS DIAMANTES ENQUANTO OCUPADO GARIMPAVA NO MEIO DE FALSAS PEDRAS PRECIOSAS."

"NÃO ME IMPORTO COM O QUE OS OUTROS PENSAM DE MIM. IMPORTO-ME COM O QUE EU PENSO E COM O QUE FAÇO. EIS UMA DAS CARACTERÍSTICAS DO MEU CARÁTER."

"NINGUÉM É OBRIGADO A GOSTAR DE ALGUÉM, MAS EXISTE UMA COISA QUE SE CHAMA: RESPEITO!"
Nunca sabemos onde a vida nos levará. Tropeços e valores. Reviravoltas. Ficamos surpresos... Às vezes, no caminho um pensamento nos faz dizer: -"Este é o pior momento da minha vida". Mas quer saber ? No final do caminho, das diversidades mais difíceis, o que não nos mata - nos torna mais forte.
Agora as diversidades não importam. Eis o dilema! A vida é uma jornada e não um aleatório destino. Egresso da Baixada Fluminense... Ex-Marujo...
De bem com a vida - acordado e energizado - faço do escrever a minha terapia ocupacional.
Acima de tudo agradeço a Deus por tudo que tenho e sou. Não há como renegar as minhas origens. Quem renega as suas origens, nega a si mesmo.
Servir à Marinha:
Uma visão!
Um sonho!
Uma vida!


terça-feira, 31 de julho de 2012

PENSANDO BEM...

Pensando bem...
Depois dos 70 anos a minha capacidade de indignação está mais presente do que antes. O importante é que estou a transferir o que sei e aprendendo o que me ensinam.
Descobri um novo filão de realização pessoal: - O trabalho voluntário com vista a alfabetizar adultos.

Levanto cedo... Ponho-me a olhar o nascer do sol... Não sei se a vida é longa ou curta.

Depois dos 70 anos, também, apurei o meu interesse no adquirir informações que possam contribuir para um envelhecimento saudável. Sofro com o "arrocho salarial" que deságua na incapacidade de arcar com um digno plano de saúde. Mas quem não sofre de tal injunção? Na outra ponta sofro na pele a alta deficiência do Sistema de Saúde que tenho direito. Infelizmente, não estou só neste "descaso" e "indiferença" no trato com os cidadãos.

Antes que qualquer análise quanto às minhas palavras. Permito-me, asseverar que o ato de escrever é um salto evolutivo que proporciona registrar e externar alguns sentimentos... traduzir emoções... Enquanto no falar - as palavras, o vento leva... O escrever é algo com maior abrangência... é um estado de encantamento que permite não experimentar o sentimento "solidão".
Através do escrever é possível experimentar ideias com um lógico e racional encadeamento na organização e interpretação de informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. Neste contexto o contraditório fica por conta das análises e avaliações são feitas pelo leitor.

Depois dos 70 anos constato a irreversível característica inerente aos seres humanos do mundo moderno: - o buscar de novas maneiras de se comunicar.

Pensando bem... Cada dia no embate: tempo x espaço x gerações nos deparamos com a dificuldade para assimilar o "moderno"... Na luta pela sobrevivência no "moderno": - cada dia é como matar um leão. Qual o motivo? A Era Digital requer um constante repensar e um nortear de ações que se mantenham agradáveis e saudáveis. Se tal não basta os hábitos e costumes (in)voluem com tal velocidade que fica difícil assimilá-lo com tranquilidade...

Finalizando... Embora seja difícil, é possível superar nossa tendência do ignorar os fatos dos quais não gostamos. Pensando bem... No mundo hodierno, mister se faz que tenhamos a antevisão permissiva de ações proativas na sociedade e não meramente reativas.

Tente o seguinte inventário diário:
- O que fiz hoje de bom?
O que fiz de mau?
O que fiz prejudicar o outro?
Como me sinto?
Como me pareço?

Com certeza, entre as resposta encontraremos a liberdade de escolha do ser humano.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

... A NOITE É MESTRA...

 Se a noite é mestra...


Todos os dias sofremos...
Todos os dias nos alegramos...
Todos os dias nos decepcionamos...
Todos os dias erramos...
Todos os dias acertamos...
Todos os dias aprendemos...
Todos os dias uns vivem...
Todos os dias uns vegetam...
Todos dias uns nascem...
Todos os dias uns morrem...

Todos os dias nos deparamos com anônimos heróis...
Todos os dias nos deparamos com lobos travestidos de ovelhas...
Todos os dias batalhamos por melhores dias...
Todos os dias vemos o dia amanhecer...

Todos os dias a noite é mestra
em remarcar no peito
a dor dos dias passados...
Todos os dias a noite é mestra
em nos impulsionar, sob a égide da fé,
rumo  a novas conquistas...
Todos os dias, uns mais outros menos,
se deixam devanear...

Se a noite é mestra...  Convenhamos:
- A esperança é o bálsamo da sobrevivência.
Se a noite é mestra... Que possamos:
- Após um dia de luta pela sobrevivência contrariar as palavras
de Nicolau Maquiavel asseverando qie: - Os meios não justificam os fins.


Se a noite é mestra... Que ao colocarmos a cabeça no travesseiro
possamos meditar  quanto a: - Tudo que fizemos de bem ou de mal.
Que possamos como eternos aprendizes...
Levantar da cama sem nenhum remorso...

Finalizando se a noite é mestra. Durante o dia não esqueçamos das palavras de  Albert Einstein:
"A vida não dá e nem empresta, não se comove e nem se apieda.
Tudo quanto ela faz é retribuir e transferir aquilo que nós lhe oferecemos."

Homo sum: humani nihil a me alienum puto.

terça-feira, 24 de julho de 2012

DIVULGAÇÃO


LIVRO DAS ALDRAVIAS SERÁ LANÇADO NA
CASA DAS ROSAS

No dia 05 de outubro de 2012, às 18h, a Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura recebe os escritores da Sociedade Brasileira dos Poetas Aldravianistas, para lançamento de “O livro das Aldravias – nova forma/nova poesia” (Editora Aldrava Letras e Artes), performance e música com Marzo Sette Torres, Luiz Poeta, Messody Benoliel e Thiago Caldeira, e sarau lítero-cultural com os autores do livro.
Aldravia é poema sintético, capaz de inverter ideias correntes de que a poesia está num beco sem saída. Essa nova forma representa a ruptura necessária com o convencional, na busca de fazer uma Literatura representativa de uma experimentação estética. Os poemas são compostos por seis versos univocabulares, conforme o espírito poundiano de poesia: o máximo de poesia com um mínimo de palavras.
Os criadores da aldravia são os poetas do Movimento Aldravista: Gabriel Bicalho, Andreia Donadon Leal, J.S.Ferreira e J.B.Donadon-Leal.
O livro das Aldravias – nova forma/nova poesia reúne aldravias de 48 poetas, membros fundadores da Sociedade Brasileira dos Poetas Aldravianistas.

Autores: Afonso Baião, Amélia Luz, AndreiaDonadon Leal,Angela Togeiro,Anicio Chaves, AthanaseVantchev de Thracy, Auxiliadora de Carvalho e Lago, Benedita Azevedo,Cecy Campos, Célia Lamounier,Cely Vilhena Falabella, ClevanePessoa, Edir Meirelles, Elvandro Burity, Elza Aguiar Neves, FranciscoNunes, Gabriel Bicalho, Gilberto Madeira, Hebe Rôla, Humberto Martins, Ilda Brasil, Izabel Eri Camargo, José de Castro, J.B Donadon-Leal,José Luiz Foureaux de S. Júnior, J.S.Ferreira, Juçara Valverde, Luiz Gondim, Luiz Poeta, Marcia Barroca, MariaBeatriz Del Peloso Ramos, Maria Goretti de Freitas, Michelle Bicalho, Marilia Siqueira Lacerda, Marilza deCastro, Marisa de Castro Godoy, Mário DonLeal, Marzo Sette Torres, Maura Martins, MessodyBenoliel, Miriam Blonski, Nilze Monteiro, Ricardina Yone, Vanise Buarque, Vilma Cunha Duarte,Wilma Maria Quintiliano,  Vitor Escudero,Zaíra Melillo Martins.

Apresentação
Dr. José Luiz Foureaux de Souza Júnior

Apresenta-seaqui outra coletânea, em língua pátria (em sua maior parte, pois háparticipação estrangeira – Portugal e França). Desta feita, o conjunto éconstituído de ALDRAVIAS. Os criadores desta nova forma de poesia são os poetasdo Movimento Mineiro Aldravista: Gabriel Bicalho, Andreia Donadon Leal, J.S.Ferreirae J.B.Donadon-Leal.
 Cabeuma rápida digressão sobre esta forma inovadora de poesia, herdeira – pelomenos, em certo sentido – do Hai Kai e ancorada na proposta poética de EzraPound. Mistura explosiva, no que este adjetivo carrega de dinamismo ecriatividade, a aldravia é forma experimental que prescinde dos preceitos maistradicionais do fazer poético. Acompanhando o rastro deixado pela recuperaçãooperacional do conceito de metonímia – traço personalíssimo da poesia do grupode Minas – a aldravia busca enredar o leitor nas malhas da criação do sentidopoético, abusando positiva e dinamicamente da potencialidadesemântico-discursiva da metonímia. Em outras palavras, a nudez formal daproposta – as aldravias são compostas de estrofes únicas de até (preferencialmente)seis versos, estes, por sua vez, expressos em vocábulos igualmente únicos,acompanhados ou não de sinais de pontuação – é prova cabal da ousadia desteestágio de experimentação estética do grupo aldravista. Aqui entra Pound com oaxioma do “máximo de poeticidade num mínimo de palavras”. O número de versospode duplicar a proposta haicaista, mas mantém – repito, em certa medida – acontenção nos instrumentos que desenvolvem o desenho da cena poética que osversos criam.
Asdigressões desempenham aqui o papel de guia na leitura do conjunto de aldraviasque o volume enseja. Experiência vária e multifacetada, os textos aqui reunidosrepresentam o que há de mais atual em termos de criação poética. Em tempos“bicudos” para a poesia que, no dizer de alguns, “não vende”, nada mais salutarque o bafejar da ousadia que o aldravismo pratica. Se tentar burlar o que estáestabelecido é, em certa medida, característica comum e corriqueira do fazerpoético, a radicalidade do gesto poético aldravista, insere-se no hall de certavanguarda que não pretende a glória dos cenáculos da admiração global, mascontenta-se com o exercício contínuo e gratificante da poesia que se quer assimmesmo: POESIA. Aqui fica, então, o convite para a fruição desses universoscondensados de sentido, as aldravias, que passeiam pelo olhar do leitor que sequer atento e participante. É a oportunidade de tomar contato, em primeira mão,com material que vai ser lançado em Lisboa, em 2013, sob os auspícios daAcademia Internacional de Heráldica de Portugal, na pessoa do Dr. VitorEscudero, seu Presidente e Chanceler da Academia de Letras e Artes, ambas emPortugal.

Mariana, outono, 2012.
Dr. José Luiz Foureaux de Souza Júnior
Doutor em Literatura Comparada (UFMG)
Pós-doutor em Literatura Comparada (UFF)

domingo, 22 de julho de 2012

DO LIVRO "O ARROZ DE PALMA" DE FRANCISCO AZEVEDO

 Trechos do livro "O Arroz de Palma" de Francisco Azevedo.

Muito interessante. E emocionante.

"Família é prato difícil de preparar. São muitos ingredientes. Reunir todos é um problema...Não é para qualquer um. Os truques, os segredos, o imprevisível. Às vezes, dá até vontade de desistir...Mas a vida sempre arruma um jeito de nos entusiasmar e abrir o apetite.
O tempo põe a mesa, determina o número de cadeiras e os lugares. Súbito, feito milagre, a família está servida. Fulana sai a mais inteligente de todas. Beltrano veio no ponto, é o mais brincalhão e comunicativo, unanimidade. Sicrano, quem diria? Solou, endureceu, murchou antes do tempo. Este é o mais gordo, generoso, farto, abundante. Aquele, o que surpreendeu e foi morar longe. Ela, a mais apaixonada. A outra, a mais consistente...Já estão aí? Todos? Ótimo. Agora, ponha o avental, pegue a tábua, a faca mais afiada e tome alguns cuidados. Logo, logo, você também estará cheirando a alho e cebola. Não se envergonhe de chorar.
Família é prato que emociona. E a gente chora mesmo. De alegria, de raiva ou de tristeza. Primeiro cuidado: temperos exóticos alteram o sabor do parentesco. Mas, se misturadas com delicadeza, estas especiarias, que quase sempre vêm da África e do Oriente e nos parecem estranhas ao paladar tornam a família muito mais colorida, interessante e saborosa. Atenção também com os pesos e as medidas. Uma pitada a mais disso ou daquilo e, pronto: é um verdadeiro desastre.
Família é prato extremamente sensível. Tudo tem de ser muito bem pesado, muito bem medido. Outra coisa: é preciso ter boa mão, ser profissional. Principalmente na hora que se decide meter a colher. Saber meter a colher é verdadeira arte. Uma grande amiga minha desandou a receita de toda a família, só porque meteu a colher na hora errada. O pior é que ainda tem gente que acredita na receita da família perfeita. Bobagem. Tudo ilusão. Não existe Família à Oswaldo Aranha; Família à Rossini, Família à Belle Manière; Família ao Molho Pardo (em que o sangue é fundamental para o preparo da iguaria). Família é afinidade, é à Moda da Casa. E cada casa gosta de preparar a família a seu jeito. Há famílias doces. Outras, meio amargas. Outras apimentadíssimas. Há também as que não têm gosto de nada, seria assim um tipo de Família Dieta, que você suporta só para manter a linha. Seja como for, família é prato que deve ser servido sempre quente, quentíssimo. Uma família fria é insuportável, impossível de se engolir. Enfim, receita de família não se copia, se inventa. A gente vai aprendendo aos poucos, improvisando e transmitindo o que sabe no dia a dia. A gente cata um registro ali, de alguém que sabe e conta, e outro aqui, que ficou no pedaço de papel. Muita coisa se perde na lembrança. Principalmente na cabeça de um velho já meio caduco como eu. O que este veterano cozinheiro pode dizer é que, por mais sem graça, por pior que seja o paladar, família é prato que você tem que experimentar e comer. Se puder saborear, saboreie. Não ligue para etiquetas. Passe o pão naquele molhinho que ficou na porcelana, na louça, no alumínio ou no barro. Aproveite ao máximo. Família é prato que, quando se acaba, nunca mais se repete."

sábado, 14 de julho de 2012

A QUEDA DA BASTILHA

PESQUISA.

Duzentos e vinte e três anos se passarm - 14 de julho de  1789/14 de julho de 2012.
A Queda da Bastilha, ocorrida em 14 de julho de 1789, foi o evento que marcou o início da Revolução Francesa. Apesar de esse movimento popular ter grande significado, a revolução foi um processo. Envolveu, além da situação econômica do país, os interesses de classe e dos demais países europeus.
Consta que depois que a Bastilha
foi tomada, a Assembleia Constituinte aprovou a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão.
inspirada na declaração norte-americana. A partir de então, a Revolução deixou de ser um movimento no qual deputados julgavam que poderiam eliminar o Antigo Regime apenas fazendo novas leis. A camada popular motivada pela escassez de alimentos e pelas cobranças excessivas de impostos entrou em cena.

A BASTILHA tornou-se um símbolo do absolutismo francês, sendo que vários intelectuais e políticos foram presos em seus cárceres. Entre os prisioneiros mais famosos, podemos citar: Bassompierre, Foucquet, o homem da máscara de ferro, duque de O’rleans, Voltaire, Latude entre outros.
A Queda da Bastilha tornou-se um marco e símbolo da queda da monarquia francesa. Inclusive, o 14 de julho foi escolhido pelos franceses como feriado nacional e data de celebração da Revolução Francesa.
Liberté, Egalité, Fraternité
foi o lema da Revolução Francesa. O slogan sobreviveu à revolução, tornando-se o grito de ativistas em prol da democracia e da derrubada de governos opressores e tiranos de todo tipo.
O slogan é citado na Constituição francesa de 1946 e 1958. Originalmente, o símbolo era Liberté, Egalité, Fraternité, ou la mort! (Liberdade, Igualdade, Fraternidade ou morte!).


Durante a ocupação alemã na França durante a II Guerra Mundial o lema foi substituído na área do governo de Vichy com a frase Travail, famille, patrie (trabalho, família e pátria) para evitar possíveis interpretações subversivas e desordenadas.






sexta-feira, 13 de julho de 2012

CONVIVÊNCIAS E CONVENIÊNCIAS...


Uma das vantagens do envelhecimento é o aumento diferenciado da sensibilidade para sobreviver na correnteza do individuaismo no mundo hodierno. Passamos, mais do que ontem, a entender que as dificuldades são como montanhas que se aplainam quando avançamos sobre elas.
Vivemos, ensinando, aprendendo, caímos, levantamos para chegar a algumas conclusões... A idade chegou... com os ossos fragéis, a carne mole e os cabelos brancos, é hora de mudar o foco das convivências e conveniências. Xô individualismos competitivos. Xô fofocas. Xô hipocrisias.
Os problemas são parte do curriculum, que aparecem e desvanecem como uma aula de álgebra, mas as "lições" que se aprende perduram a vida inteira. São marcas gravadas em nosso "psique" que nem Sigmund Freud explica.
Nas palavras de Henry Ford: "Se o dinheiro for a esperança de independência, jamais a teremos. A única segurança verdadeira consiste na reserva de sabedoria, de experiência e de competência."
Que tenhamos o gesto generoso: - Pelo sangue que Cristo derramou na cruz perdoe aqueles que te ofendem e caluniam. Perdoar não é esquecer, mas lembrar sem sentir dor. É preciso ter coragem de vencer ressentimentos, as mágoas, a traição e a ravia. É necessáio romper com todos esses sentimentos negativos. Eles geram doença, geram a morte!
Que ao invés de lamentarmos por nosso problemas, agradeçamos ao Senhor Deus por um dia. Foi o presente que Ele nos deu que é a oprtunidade de recomeçarmos.
Nas palavras de Chico Xavier:
"Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim."

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Cercle Universal des Ambassadeurs de la Paix


De notre ambassadrice Celia Altschuler BRESIL
   votre indulgence pour les traduction merci !
 

Las artes al servicio de la Paz


El arte sigue en servicio de la humanidad. Haciendo sus contribuciones aquí y allá en el microcosmo de cada artista que ofrece sus talentos buscando alivianar los dolores que la humanidad se inflige a si misma. El arte a través de su función recreativa atina a sanar las emociones y catalizar los sufrimientos ofreciéndole al ser humano una opción de vida mas sensible y más espiritual. El arte no hace la guerra sin embargo expresa sus consecuencias como hemos visto en su desarrollo histórico y cito el ejemplo de los expresionistas en las artes plásticas durante y después de la segunda guerra mundial. También podríamos buscar ejemplos que respondan a estas necesidades históricas en las otras caras del arte, como lo son la música, la poesía, entre otras expresiones literarias.
 Vivimos en un mundo convulso donde impera la necesidad de armonía y espiritualidad. Me refiero a la armonía que promueve el respeto por la vida, la diversidad de raza y culturas en nuestro planeta. ¿Parece utópico? Pues no lo es, basta con aceptar nuestra naturaleza racional, dejar de negarla para poder ver la vida con responsabilidad, y reconocer nuestra naturaleza espiritual que tampoco podemos seguir negando.
 Con el término espiritualidad no me refiero a religión. Por que en la religión también hay diversidad que tenemos que aprender a respetar. La espiritual va atada a nuestra naturaleza y promueve la libertad, no la quita. Coincido con el filósofo francés Jacques Rousseau, al repetir que “el ser humano es bueno por naturaleza, es la sociedad quien lo corrompe”. Yo diría, más bien, que es  la ignorancia de la sociedad, la falta de conocimiento de si mismo y de lo que le rodea. Esto es lo que afecta el porvenir del ser humano. Busquemos pues la paz, a la cual todos tenemos derecho. Busquemos el conocimiento para ser libres y sobre todo humanos.



segunda-feira, 9 de julho de 2012

ACOSTUMA-TE COM A VERDADE

Acostuma-te com  a verdade.
O hábito da mentira branca, também chamada inocente ou social, levar-te-á às graves, empurrando-te para o lodaçal da calúnia e da maledicência frequente.
A fagulha produz incêndios semelhantes aos gerados pela labareda crepitante...
Os grandes crimes se originam em pequenos delitos, não alcançados pela justiça, que ensejam o agravamento do mal.
Usa de severidade moral para contigo, não embarcando nas canoas furadas das conveniências gerais.
Cada pessoa responde por si mesma, e os seus atos ficam gravados na consciência individual.
Sê tu mesmo, em constante progresso moral.


Joanna de Ângelis - Retirado do livro “Vida Feliz”
O esforço de opor à verdade é como por a fruta contra a raíz ou o acendedor contra o fogo ou como construir sem um alicerce firme. A verdade subsiste por ser verdade.
A teoria mais aceita quanto à origem do dia da mentira remonta ao século XVI, na França. O primeiro de abril é reservado para o DIA DA MENTIRA é a ocasião que algumas pessoas apreciam comemorar falando "mentiras brancas" e jocosas. 

O termo mentira branca faz referência às mentiras que a maioria das pessoas conta para melhorar o relacionamento social, para evitar conflitos e ofensas. Trata-se da mentira socialmente aceita, inocente e destinada a manter a harmonia dos relacionamentos. Seria aquela mentira boa e socialmente aceita.
A mentira branca é fisiológica, demagógica e universal. É o elogio generoso do tipo – “ora, você está sempre igual, parece não envelhecer...”. Até certo ponto a mentira fisiológica serve também para a elaboração das mais esfarrapadas desculpas “– não pude comparecer ao enterro porque uma tia minha teve que ser internada...” E o interessante é que o outro, igualmente mentiroso fisiológico, também mente, fingindo acreditar.
Consultando a wikipédia encontrei o dia 3 de abril como sendo O DIA DA VERDADE. O interessante é que este passa desapercebido. Nunca em minha vida ouvi qualquer referência ao 3 de abril como sendo o DIA DA VERDADE.  Qual será o motivo?
Será pelo fato de quando escutamos uma verdade nua a crua é desconfortável.  A verdade dói feito uma porrteada na ponta do dedo mindinho.
Ave!!! Que assunto controvertido. Preferimos um falso elogio a uma crítica, mesmo que construtiva. Então, chegamos à conclusão que muitas verdades "pensadas" diariamente não devem sequer ser pronunciadas. Conseguimos esconder opiniões, predileções e pensamentos, desdo os mais inocentes  até aqueles considerados  socialmente incorretos ou até pecaminosos por fazerem parte de nossas idiossincrasias.

Finalizando, no meu caminhar de escritor e poeta o escrever é um eterno embate entre a verdade e a mentira. Enquanto a verdade e a realidade me atrai, a mentira soa como impossível. Em tal corda bamba acredito que todo o escritor e poeta tem que se equilibrar: tornar a verdade intelegível e a mentira verossímil.

Nas palavras de  Florbela Espanca:

Ser poeta
Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Aquém e de Além Dor!
É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!





domingo, 8 de julho de 2012

MEIOS E FINS...

Saibamos lidar com o erro do outro, aprendamos com o erro do outro, ressaltemos as qualidades, não procuremos defeitos. São coisas simplórias e normais de serem praticadas. Nos conscientizemos de que somos todos imperfeitos: uns mais outros menos.

Continuemos olhando todos "olho no olho"... Sem nada o que esconder... Sem "rabo preso"... Sem assinar "a carteira de balujador"...

O fiel desta balança será sempre o discernimento de cada um... E nunca o que digam ou tentemos imputar. Que cada um faça a escolha do seu caminhar... Não esquecendo de que: - A vida não dá e nem toma, apenas retribui.

Não se omita de ser feliz. Omita-se de fazer o mau e as pessoas saberão retribuir. (Rafa Mendes)
Um amigo que não mais está em vida afirmava: "Ninguém dá um passo além da mediocridade, sem que lhe venham pedradas à nuca".


Na sociedade contemporânea, cada vez mais, assolado pelo "modernismo", triste, confuso, estressado e envolvido na luta pelo "ter" em detrimento do "ser", algumas pessoas, cada vez mais, se distanciam de suas essências e equilíbrio. Esquecem os princípios básicos da civilidade. Infelizmente, consolidam um caminhar tortuoso onde os meios estão a justificar os fins.

A "estória" em rápidas palavras, acima narrada: - Em seu bojo traduz alguma verdade ou é falsa?  A resposta é sua. Eu apenas, no afã de escrever, dei asas à minha imaginação fantasiosa.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

INCLUSÃO SOCIAL

Partindo-se do pressuposto que Inclusão social é uma ação que combate a exclusão social geralmente ligada a pessoas ou minorias que entre outras que não têm acesso a várias oportunidades, ou seja, Inclusão Social é oferecer aos mais necessitados oportunidades de participarem dentro de um sistema que beneficie a todos e não somente uma camada da sociedade.

Todos nós podemos colaborar para que nenhum brasileiro seja excluído socialmente. Por exemplo, podemos acabar com os preconceitos e aprender/reaprender a conviver com as diferenças e criar condições para que cada um possa vencer suas próprias dificuldades.
O processo de Inclusão Social, por exemplo de pessoas portadoras de necessidades especiais, tornou-se efetivo a partir da Declaração de Salamanca, respaldada que foi na Convenção dos Direitos Humanos da Criança (1988) e da Declaração sobre Educação para Todos (1990).
A Inclusão Social, em suas diferente faces, é efetivada pelas Políticas Públicas que oficializam e viabilizam a inserção dos indivíduos aos meiso sociais. Portanto, é necessário que sejam estabelecidos padrões de acessibilidade nos diferentes espaços (escola, empresas, serviços púbicos etc)

Reservemos um momento do dia para uma breve reflexão sobre a INCLUSÃO SOCIAL para que mantenhamos lucidez face a um mundo desnorteado, onde a deriva dos adolescentes e o stress dos adultos são problemas cada vez mais sérios.

Que nossos pensamentos contribuam para fazer nascer a esperança numa sociedade mais justa, onde a mentira dê lugar à integridade e onde a capacidade de sonhar não seja sufocada pelo materialismo.
Que a sede de ajudar ao próximo seja frequente.
Enfim, que reflitamos a cada um de nossos pensamentos e atitudes.

quinta-feira, 5 de julho de 2012

PRECONCEITO

Preconceito é um juízo preconcebido, manifestado geralmente na forma de uma atitude discriminatória que se baseia nos conhecimentos surgidos em determinado momento como se revelassem verdades sobre pessoas ou lugares determinados. Costuma indicar desconhecimento pejorativo de alguém ao que lhe é diferente.
É impossível díficil encontrar alguém que não tenha preconceito, já que internalizamos sem perceber muito da nossa herança cultural geralmente carregada de formas sutis de recursos diferentes ( pre-conceito preconceito) significa conceito formado antecipadamente, sem adquado conhecimento dos fatos.

Os antropólogos nos ensinam que, ao avaliarmos os costumes de outros povos temos têndencia de partí de nossos valores culturais, o que representa uma atitude etnocêntrica. Quando isso acontece, corremos o risco de procurar neles "o que lhes faltam " e esquecemos de ver com clareza o que eles são de fato.
O preconceito leva à discriminação quando pessoas são classificadas pela sociedade como "DIFERENTES" (Tais como Racial , Orientação/Opção Sexual, Mulheres, Idosos, Classe Social, Religioso, Deficiência Física e tantos outros) são considerados inferiores e excluídos dos privilégios desfrutados por aqueles que se consideram "MELHORES" ou "SUPERIORES".
Preconceito é um juízo preconcebido, manifestado geralmente na forma de uma atitude discriminatória que se baseia nos conhecimentos surgidos em determinado momento como se revelassem verdades sobre pessoas ou lugares determinados. Costuma indicar desconhecimento pejorativo de alguém ao que lhe é diferente.
Morgan Freeman fala sobre a discriminação da cor da pele.

Somos todos HUMANOS.
Portanto, xô preconceitos e discriminações em todas as formas e maneiras.
ENTENDEU?
ESTE É O FIM DE TODOS NÓS.
Nunca substime as pessoas, ninguém conhece o potencial do outro. DEUS é quem capacita. Infelizmente, o ser humano tem uma capacitade incrivel de julgar o seu próximo pela aparência...

A quantidade de preconceito que cada um de nós tem é inversamente proporcional a de inteligência.
Jefferson Luiz Maleski

quarta-feira, 4 de julho de 2012

DIVINE FRANÇAISE DES ARTS LETTRES ET CULTURE


Carta aos Embaixador​es da Divine Academie Française des Arts Lettres et Culture

                                               
Fondéele 25 Octobre 1995
Régiepar la loi du Premier Juillet 1901 – Décret du 16 aout 1901
Déclaréeà la Préfecturesous le numéro d’ordre 95/4014 numéro de dossier 1227708P
Siège social : 40,Av. de Saint Mandé – 75012 – Paris/ France
E-mail :divapavesi@yahoo.fr  - divineacademiefrancaise@yahoo.fr
Site :www.divineacademie.blogspot.com

Honneur et Reconnaissance aux Femmes etHommes de Valeur.

Paris, 03 de Julho de 2012.

Digníssimos Membresd’Honneur e Embaixadores, queiram aceitar os meus sinceros cumprimentos.

Essa missiva tem afinalidade de lhes apresentar os meus sinceros cumprimentos e agradecimentos pela nobreza de seus atos e pela dedicação à nossa Divine Academie Française des Arts Lettres et Culture.
Estamos nos aproximando ao final das inscrições para a Cerimônia Solene de Outorgas das Altas Insígnias da Divine Academie, que vai ocorrer na majestosa Cidade do Rio de Janeiro, no dia 10 de Novembro de 2012.
Essa Primeira Cerimônia Solene, desejei realizar na Cidade Maravilhosa por várias razões:  Foi a primeira Cidade que através da Academia de Letras Rio Cidade Maravilhosa me condecorou.
Por ter sido a primeira Cidade onde tive a honra de condecorar o maior numero de poetas, escritores e artistas plásticos, pelas inúmeras Academias Francesas das quais sou Membro, Delegada e Administradora.
Escolhi essa Cidade, por ter o maior numero de amigos, parceiros e Grandes Mestres que tem com seus valores iluminados nossas vidas e nosso querido Brasil.

Escolhi os seguintes Embaixadores:
Senhoras Beatriz Dutra, Zélia Fernandes, Tereza Linhares, Senhores Elvandro Burity, Amilton Passos, para serem os Embaixadores da Cidade do Rio de Janeiro.
Escolhi a Senhora Dyandréia Portugal para ser Embaixadora da Região dos Lagos.
Senhora Déia Leal, Embaixadora para Minas Gerais,  Senhora Ilda Brasil, Embaixadora para o Rio Grande do Sul.
Senhora Cristina Santos, Embaixadora para a Bahia,Senhora Neide Galli, Embaixadora para São Paulo.

Nessa Cerimônia Solene, todos os senhores e senhoras serão condecorados pelos seus valores eempossados, enquanto Membre d’Honneur et Ambassadeurs da Divine Academie.
As suas indicações, tem sido acolhidos com muita honra e  amor. Eles são reconhecidos por mim, como seus afilhados, como sou a afilhada da querida Beatriz Dutra que através dela me abriu todas as portas do Rio deJaneiro.
Nesse sentido, quero agradecer a amabilidade e a fraternidade na indicação de seus afilhados para serem condecorados nessa Cerimônia Solene, e quero reafirmar que estou honradíssima com a qualidade dos afilhados apresentados.
Continuem por favor, nessa primeira Cerimônia a prestigiar a Velha Guarda das Artes, das Letras eda Cultura, os nossos Grandes Mestres.
Esses serão os primeiros Membres d’Honneur da Divine Academie. Seremos orgulhosos de contar com as preciosas e nobres personalidades fazendo parte da historia dessa Academia.
Numa próxima Cerimôniaem 2013 no Rio de Janeiro, abriremos mais o espaço para os jovens, pois eles merecem também nosso amor e incentivo.
Mas nessa Primeira Cerimônia, quero reverenciar aqueles que tanto nos ensinaram; aqueles que tanto se dedicaram as artes, ciências, letras e cultura brasileira. Principalmente aqueles que jamais foram condecorados por uma Academia Francesa, ou aqueles que jamais puderam estar presentes em Paris, nas inúmeras Cerimônias que realizei.
Nessa Primeira Cerimônia, teremos apenas 70 participantes.
Cada Futuro Laureado poderá levar até dois acompanhantes.
No dia 30 de Julho encerrarei as inscrições.
Temos poucas vagas.
Por isso solicito assuas amabilidades e fraternidade em enviar urgentemente esse convite oficial aos seus afilhados.

Para isso, por favor, me enviem antes a lista com os nomes, dos seus afilhados para que não haja um segundo convite.
Eu já enviei convites para todos os Laureados de 2003 a 2012 de todas as Academias Francesas que eu represento.

Quero prestigiar Acadêmicos de renome, de força, de Luz.
Aqueles que são fontes inspiradoras, e que são nossos maiores exemplos de Humildade, de Beleza e de Sabedoria.
Esses Grandes Mestres que nos ensinam e nos incentivam a ser cada vez melhores em nossas vidas.
A Divine quer ser justa no sentido de verdadeiramente outorgar essa insígnia ao talento, à dedicação, a força, a LUZ,a beleza desses Grandes Mestres.

Esperando que essa extensa carta tenha sido útil, para a continuação de nossas missões de transmissores da PAZ e da Cultura, quero mais uma vez agradecer do fundo do coração.

Fraternalmente,

Diva Pavesi

UMA TRILOGIA...



DINHEIRO  CONHECIMENTO  HUMILDADE

Se  existe uma palavra que define o que vivemos nos últimos anos, certamente, é revolução. Entendamos que o termo revolução, aqui empregado, refere-se a toda e qualquer transformação radical que atinja drasticamente os mais variados aspectos da vida de uma  sociedade.fruto natural do dsenvolvimento da raça humana ao sabor dos costumes e valores da própria civilização. Dito isto, vez por outra, nos deparamos com uma contradição onde algumas máximas são importantes quer no trabalho, quer na hierarquia social, bem como nos hábitos cotidianos.
Na qualidadde de passegeiros do trem chamado vida e cidadãos  devemos discutir e ficarmos atentos para a pluralidade inseridas no contexto de novas compreensões das mais brandas às mais agudas. Por exemplo, "O DINHEIRO faz homens ricos, o CONHECIMENTO faz homens sábios e a HUMILDADE faz Homens Grandes."


segunda-feira, 2 de julho de 2012

ALGUMAS CONSIDERAÇÕES...

Algumas considerações sobre
Cidadania
Civilidade
Sobrevivência

Nos últimos anos os bons costumes, o respeito mútuo, a solidariedade, a caridade e muitas outras "virtudes" parecem que ao passado pertencem.
O ser humano dotado de inteligência parece regredir no tempo e no espaço. Infelizmente, por poder e dinheiro, não mede esforços em meios que justifiquem os fins para conseguir objetivos.
Por outro lado, o ser humano hodierno tem avançado e muito no campo da ciência, da tecnologia, com ótimas perspectivas em relação a cura de doenças. Nesta linha de raciocínio: - Será válido afirmar que o ser humano brinca de ser Deus. Certo ou errado?

Desculpa, na maioria das vezes, é uma palavra e ação excluída do "modus vivendi" (que em latim significa um acordo entes partes cujas opiniões diferentes, mas de tal maneira que elas concordam em discordar).
Quantas vezes fazemos coisas que sabemos não serem certas? Quantas vezes decidimos assumir os riscos de nossas decisões, mesmo sabendo que não são adequadas?
Dispendemos tempo blefando, tentando enganar... Intimamente, dizemos: - Sei que estou errado mas continuarei...
O ser humano parece, salvo juízo contrário e com algumas exceções, esquecer de duas elementares coisas que não voltam jamais:
- a palavra
- a oportunidade
Errar tentando acertar é uma coisa. Errar pelo simples prazer de errar é outra. Persistir no erro é "burrice". Será que temos mesmo o direito de fazermos o que quisermos com nossas vidas?
No mundo existem diversas regras, entre outras: dos bons costumes, da moral, da ética, da cidadania e da civilidade. Até podemos fazer nossas regras. Porém, via de regra, elas contrariam alguns códigos de conduta. Estamos certos ou errados com as nossas próprias regras?
Será lícito formatar regras que, simplesmente, destinam-se a satisfazer nossas vaidades e inconfessáveis desejos? A isto podemos chamar "egoísmo". Correto?

Tudo começa no "berço", isto é na nossa origem. E, aqui é conveniente abrir parênteses para asseverar que: - Não há "cultura" que faça um ser humano ter bons princípios. Bandido, canalhas, corruptos etc existem em todos os seguimentos sociais, independentemente de pobre ou rico. A honradez existe, também, nas pessoas humildes, refiro as que não conhecem a diferença em um "o" (a quarta vogal do alfabeto) e um "0" (valor da variável que torna nula uma função dessa variável).
Um amigo que não mais está neste mundo, dizia o seguinte: "Ser honesto é uma obrigação e não algo digno de elogios."
Escrever, falar sobre cidadania, civilidade e sobrevivência nos arremete à realidade que temos deveres e direitos. Primeiro cumprir os deveres para podermos depois, plenamente tomar posse dos direitos. Entretanto, isto pouco acontece e a "Lei de Gerson" - de levar vantagem em tudo - é o conceito mais usado entre a maioria dos seres humanos.
Falta solidariedade, falta de humanidade.
Maridos não respeitam esposas e vice-versa, pais não respeitam os direitos dos filhos e a recíproca é verdadeira, causando verdadeiras batalhas familiares.
O ser humano precisa conscientizar-se de que os outros também têm direitos, precisamos ser compreensivos, respeitadores das leis e preceitos de boa vizinhança, precisamos ser mais solidários com os outros seres que habitam nosso planeta, precisamos compreender que não somos animais irracionais e deixar de agir como tal.
Pregamos a paz e fabricamos armas, os políticos são inescrupulosos e irresponsáveis, formam cartéis, verdadeiras quadrilhas que assaltam os cofres públicos, dinheiro que deveria ser empregado para o bem estar da sociedade.

Na realidade o que falta ao ser humano é ter Deus em suas vidas, o homem, sem exceção acha que pode resolver a sua vida por si próprio, é neste ponto que ele cai no abismo, é aí que sua vida degenera-se, quando ele tenta fugir do crivo das coisas sagradas e pensa que pode agir contrariando leis e preceitos.
Enfim, falta-nos disciplina e cidadania, entre outras coisas e acima de tudo.

De certa forma, faz sentido a mistura de tantos significados. A história das lutas para a afirmação de valores éticos: como a liberdade, a dignidade e a igualdade. Consequentemente, existe um estreito relacionamento com tantos significados que na história se confundem com a história dos direitos humanos. Portanto, existe um estreito relacionamento entre civilidade, cidadania e sobrevivência. Não temos o direito de impedir os outros de viverem suas vidas só porque não pertencem a mesma classe social, raça ou religião que a nossa. Todos nós temos direitos e devemos fazer valer o mesmo independente do que somos ou temos. Entretanto, não podemos e nem devemos esquecer os deveres.
Falar de civilidade, cidadania e sobrevivência implica em primeiro cumprir os deveres de cidadãos para depois tomarmos posse dos direitos. No dia em que o binômio "deveres x direito" for obedecido, sem sombra de dúvidas, a sociedade e o mundo serão bem melhores... um estreito vivenciar uma justa democracia e outros direitos fundamentais asseguradores de condições dignas de sobrevivência.
Xô pessimismo!!!!!!!! Na condição de frágil criatura minha vida nada mais representa do que um ponto colocado entre duas eternidades: um presente momentâneo, um finito presente e um infinito porvir.

Dia virá em que o ser humano deixará de ser o lobo do próprio ser humano.

domingo, 1 de julho de 2012

SER MELHOR

SER MELHOR
              (Carvalho Branco)

Ser energia adormecido,
a crescer, em si, sua potência;
no momento certo, explode-se em parcelas:
do Todo surge o tudo revivido;
por amor e por inteligência,
o Todo ao tudo sempre vela.

Tal Pai tal filho – a Ele semelhante,
o tudo surgiu com seu destino,
recriou-se no tempo, foi avante,
deixando ao vento o tocar do sino,
como lembrança da Supra vontade,
que, de cada ser, também é qualidade...

Cada um em si é potencialidade
e a vida é nada mais que amor...
Saber  viver é que é felicidade;
voar, em espírito, mais alto que o condor.
Fé, esperança, amor, sensibilidade
é a receita para melhor humanidade!