Sou mais um entre tantos...

Sou mais um entre tantos...
A FILOSOFIA E A MISSÃO DESTE BLOG INCLUI A DIFUSÃO DA CULTURA E A UTILIDADE PÚBLICA.

"Cada pessoa, por si só, promove a sua indispensável transformação interna, transmutando o pesado chumbo do seu emocional, no ouro reluzente da Evolução Mental."

Fé Esperança Caridade

Fé Esperança Caridade
Fé Esperança Caridade - Virtudes chamadas teologais porque têm a Deus por objeto de modo imediato. Pela fé nós aderimos ao que Ele revelou; pela esperança tendemos a Deus apoiando-nos em seu socorro para chegar a possuí-Lo um dia e vê-Lo face a face; pela caridade amamos a Deus sobrenaturalmente mais do que a nós mesmos. A minha Fé não é achar que Deus fará o que eu quero, mas basea-se na certeza de que Ele fará por mim tudo o que preciso.

Verbete Wikipédia

Verbete Wikipédia
Verbete Wikipédia

O BRASÃO

O BRASÃO
Visite o blog do Barão de Burity clicando no Brasão.
Meus livros são minha essência.

ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA.

ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA.
ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA - DOWNLOAD? POR FAVOR, CLIQUE NO TÍTULO.
CRÉDITO DE IMAGENS
Algumas obtidas na internet e formatadas com programas "freeware".


As pessoas passam, as obra permanecem. Ninguém é obrigado a gostar de alguém, mas existe uma coisa que se chama: respeito. Nunca sabemos onde a vida nos levará. Tropeços... Valores... Reviravoltas... No final do caminho, as diversidades mais difíceis, não nos matam - nos tornam mais forte.
Estou de bem com a vida... Faço do escrever a minha terapia ocupacional.
Acima de tudo agradeço a Deus por tudo que tenho e sou. Não há como renegar as minhas origens.
Servir à Marinha:
Uma visão!
Um sonho!
Uma vida!



sexta-feira, 17 de abril de 2009

TEXTO PARA REFLEXÃO...

Recebido no dia 5 de abril de 2009, às 09.48 h, de Alexander Man Fu

É impossível sentir saudades do feio, do triste, do escuro, do que nos deixou mágoas. A vida nos traz saudades do que nossos olhos viram e a alma gravou como felicidade, prazer, encanto, amor e amizade .
Saudades... É o estado da alma provocado por aquilo que vivemos, vimos, sentimos e guardamos aconchegado bem lá no fundo. Toda vez que as boas lembranças "brotam", a saudade aparece. Ela não é triste, ela não é alegre, ela é saudade e se basta!
Sentimento único, incontrolável que permeia nossas entranhas, avassala nossa quietude, transpassa as barreiras dos nossos sentidos. Forte, única e necessária.
Imaginemos a vida sem esse sentimento.
Desde a mais tenra infância os momentos inesquecíveis se alojam em nós e, guardados com carinho através do tempo, nos alimentam durante nossa caminhada de crescimento. Momentos de pura poesia, de beleza ímpar. Que fazer com todo esse estoque de flashes, brotando sem pedir licença, explodindo como fogos de artifícios no nosso imaginário? Sentimos a única coisa que expressa essas múltiplas luzes coloridas, a saudade...
Ela chega, se apossa do nosso ser, nos transporta até aquela lembrança instalada e muitas vezes, aparentemente esquecida.
Voltamos, vivemos o momento como se realmente ele ali estivesse. Ela chega forte em si mesma.
Sentimos sabores, perfumes, toques, voltam às cores. Revivemos, e reviver é viver novamente. Assim nos deixamos ficar.
Ah! Saudades... Ela sabe seu tempo, conhece seu lugar, entende de corpo, coração, mente e alma. Instala-se, apega-se, aninha-se. Nesse exato momento em que acreditamos "viver novamente", ela se vai...
Ficamos frustrados com sua partida? Se a entendemos, não! O que fica é uma sensação de leveza, de alegria. Esses momentos revividos são eternos.
Citando Drummond:
"A saudade, essa saudade assimilada, ninguém rouba mais de mim".
O hoje é para ser vivido intensamente, porém os momentos inesquecíveis precisam reacender-se quando precisamos deles. Só assim, podemos acreditar que o dia seguinte virá com alegria porque o ontem, guardado no fundo da alma, tem a saudades para reavivá-lo nos fortalecendo para o amanhã.


"Quando vires um bom homem, trata de imitá-lo; quando vires um homem mau, examina-te a ti mesmo". Confúcio (Kung-Fu-Tse),filósofo, CHI, 551-478 aC.