Sou mais um entre tantos...

Sou mais um entre tantos...
A FILOSOFIA E A MISSÃO DESTE BLOG INCLUI A DIFUSÃO DA CULTURA E A UTILIDADE PÚBLICA.

"Cada pessoa, por si só, promove a sua indispensável transformação interna, transmutando o pesado chumbo do seu emocional, no ouro reluzente da Evolução Mental."

Fé Esperança Caridade

Fé Esperança Caridade
Fé Esperança Caridade - Virtudes chamadas teologais porque têm a Deus por objeto de modo imediato. Pela fé nós aderimos ao que Ele revelou; pela esperança tendemos a Deus apoiando-nos em seu socorro para chegar a possuí-Lo um dia e vê-Lo face a face; pela caridade amamos a Deus sobrenaturalmente mais do que a nós mesmos. A minha Fé não é achar que Deus fará o que eu quero, mas basea-se na certeza de que Ele fará por mim tudo o que preciso.

Verbete Wikipédia

Verbete Wikipédia
Verbete Wikipédia

O BRASÃO

O BRASÃO
Visite o blog do Barão de Burity clicando no Brasão.
Meus livros são minha essência.

ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA.

ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA.
ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA - DOWNLOAD? POR FAVOR, CLIQUE NO TÍTULO.
CRÉDITO DE IMAGENS
Algumas obtidas na internet e formatadas com programas "freeware".


As pessoas passam, as obra permanecem. Ninguém é obrigado a gostar de alguém, mas existe uma coisa que se chama: respeito. Nunca sabemos onde a vida nos levará. Tropeços... Valores... Reviravoltas... No final do caminho, as diversidades mais difíceis, não nos matam - nos tornam mais forte.
Estou de bem com a vida... Faço do escrever a minha terapia ocupacional.
Acima de tudo agradeço a Deus por tudo que tenho e sou. Não há como renegar as minhas origens.
Servir à Marinha:
Uma visão!
Um sonho!
Uma vida!



segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

FELIZ ANO...

Transcrito do Portal Mhário Lincoln do Brasil - http://www.mhariolincoln.jor.br 29/12/2008
Feliz Ano... Por Elaine Tavares
Então aí está mais um ano e o povo se põe a celebrar. Há uma espécie de frenesi que faz com que as pessoas coloquem para andar a cerimônia do fim e do começo. Há quem diga que isso é antropológico. O ser humano precisa deste ritual. Como se no dia 31 de dezembro todas as coisas mal-feitas, mal-ditas, mal-conduzidas pudessem se redimir. Tudo é jogado na conta do passado e quando o primeiro dia do ano vem, as luzes se acendem, o branco das roupas clareia o futuro, e as gentes estão de novo vazias, prontas para uma nova jornada.
Eu gosto de cerimônias. Elas sempre lembram minha pequenez diante do sagrado. Talvez por isso eu as pratique todos os dias, porque para mim a jornada começa sempre a cada manhã. Viver é uma dádiva e quando abro os olhos e sinto que ainda estou neste jardim, meu primeiro ato é agradecer. Depois, durante o dia, dezenas de outras cerimônias são realizadas de forma ritual, porque como já dizia Mestre Eckart, a vida mesma é sagrada. A hora do nascer do sol e a celebração da luz, a hora da refeição quando se agradece a toda a vida que se dá (bicho e planta) para que a gente possa seguir existindo. A hora do pôr-do-sol quando se celebra nossa finitude, a hora de dormir quando se dá graças. A hora de reverenciar os mortos, a hora de fazer oferendas, a hora de dançar sob a lua.
Cada noite que chega é um fim, porque este breve instante de rotação da nossa casa-mãe, Pachamama, representa o início e o término de um ciclo. É o mesmo ritual que se pratica ao encerrar o movimento de translação, os 365 dias girando em torno do sol. Tudo isso só confirma essa louca magia que é viver. Talvez por isso que, contra toda a sabedoria científica que explica as coisas da existência, as pessoas ainda se entreguem a esses rituais pagãos. Essa loucura de fim de ano, a correria para ver os fogos, a ansiosa espera da virada, quando se canta, dança e ri para a lua.
Entrego-me a este carnaval anímico, de paganíssimo encontro com o não-sabido e te convido a dançar comigo nesta noite mágica do 31. E quando o 2009 vier que tu estejas entregue, embriagado do sagrado, vazio de dores e culpas, pronto para um novo começo. Espero-te ali na esquina do ano novo. Venha de branco e venha feliz! Porque vamos de novo iniciar o alucinado giro em torno de nossa maior estrela. Que seja louco e belo e que nos faça bem!...
Existe vida no JornalismoBlog da Elaine: www.eteia.blogspot.com
América Latina Livre - www.iela.ufsc.br

domingo, 21 de dezembro de 2008

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

MENSAGEM (transcrição...)

Jamais haverá ano novo, se continuarmos a copiar os erros dos anos velhos.
Luís de Camões
De repente, num instante fugaz, os fogos de artifício anunciam que o Ano Novo está presente e o Ano Velho ficou para trás.
De repente, num instante fugaz, as taças de champagne se tocam e o vinho borbulhante anuncia que o Ano Velho se foi e o Ano Novo chegou.De repente, os olhos se cruzam, as mãos se entrelaçam e os seres humanos, num abraço caloroso, num só pensamento, exprimem um só desejo e uma só aspiração: Paz e Felicidade. De repente, não importa a nacionalidade, não importa a língua, não importa a cor, não importa a origem, porque todos somos Seres Humanos e descendentes de um só Pai, os homens lembram-se apenas de um só verbo: Amar. De repente, sem mágoa, sem rancor, sem ódio, os homens cantam uma só canção, um só hino, o hino da fraternidade. De repente, os homens esquecem o passado, lembram-se do futuro venturoso, de como é bom viver.
Quando nos olhamos no espelho, sempre vemos as marcas que o tempo se incumbe de nos ofertar, linhas que o próprio tempo traça. Vemos também olhos que exprimem sofrimento, alegria, tristeza, satisfação, decepção, sucesso, enfim, vemos a matéria, ou seja, o resultado de nossa vida em forma física. Isso que vemos em nós mesmos, também podemos ver nos outros. Mas a alma, ah, essa somente nós podemos ver e sentir, pois se trata de uma imagem interior de nós mesmos. Neste final de ano, olhe para dentro de si e tente lembrar-se do que foi feito de bom ou ruim. Procure repetir as coisas boas, muitas e muitas vezes. Erros? Não os esqueça, para não repeti-los. Acontecimentos ruins, involuntários, esqueça-os e pense que no futuro virão muitas coisas boas, e que você é forte para enfrentar quaisquer situações complicadas ou embaraçosas que possam aparecer. Seja positivo, afinal há o livre arbítrio e você é quem decide como quer viver a sua vida. Escolha o melhor!
A razão e a sabedoria são fatores que nos tornam humanos. Nós somos os únicos seres que têm consciência de possuir uma vida, e aquilo que fazemos com as nossas vidas depende de nossa vontade e da sabedoria. Nesse milênio, com a bagunça deste planeta, está na sabedoria à fonte de equilíbrio que precisamos mais do que nunca. Criar um ponto de equilíbrio com a natureza e manter a ética em nosso comportamento, são fatores muito relevantes para alcançarmos a felicidade. Estas são as lições que podemos aprender com essa maravilha que é a vida.
Os fogos anunciam a chegada de um Ano Novo! É hora de refazer seus sonhos ainda não realizados e acreditar que irá concretizá-los. Soltar um olhar solidário e acalentador para os seus amigos e bocejar displicentemente para os desafetos. Aprender com os erros do ano já ido e brindar com um sorriso o ano bem vindo. Correr ao encontro daquele sonho ainda não perdido ou regozijar-se mais uma vez o sonho já conquistado.
Então, Feliz Ano Novo, aproveite a festa. Cultivem a Alegria e a Felicidade que são consideradas como grandes forças positivas que engrandecem os espíritos.
Essa é a razão pela qual desejo a você um ano repleto de luz, amor, saúde e prosperidade.
Eduardo Gomes de Souza
Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil no Rio de Janeiro – GOB-RJ
Dezembro/2008

domingo, 14 de dezembro de 2008

EU LI O LIVRO, SENTI AS TELAS E ESCREVI...

Em verdade eu não li o livro.
Apenas transcrevo o contido no Portal Mhário Lincoln do Brasil http://www.mhariolincoln.jor.br/ ao ler a análise senti como se tivesse lido o livro de Regina Casillo


Naquela tarde os anjos insistiam em pintar a tela do Céu em tons cinzas. Uma primavera disfarçada com pingos d'água transparentes, prateados, até. Dentro de mim, saudades de minha aldeia natal. Resolvi então abrir a coletânea "Pintores Contemporâneos do Paraná", obra a mim presenteada pela editora e curadora do Solar do Rosário, Regina Casillo. Olhei para o Céu novamente, respirei, desta feita, não só a orvalhada do final melancólico da tarde fria, mas o cheiro novo da alma de cada um dos 10 pintores ali retratados por Regina. Visualizava, a partir de então, o manto sagrado das artes contemporâneas de um estado-sul, à primeira vista, tão frio como o disfarce do fim de tarde em Curitiba, nesta primavera de 2008. Ao abrir a obra, ao contrário, um novo big-bang pariu folguedos, cores, luzes e alma. Havia definitivamente embarcado numa overdose silenciosa de talentos; respirei o misturado das tintas, apliquei-me colírios que levaram meus olhos a mergulhar nas telas de algodão puro, emergindo, logo depois, entre linhas, riscos e brilhos lubrificados pela espátula, pelos pincéis e pelos grafites.

***************************************

Considero as opiniões do Editor do Portal Mhário Lincoln do Brasil como um "sarau". Alguém poderá perquirir: - Tudo. Menos sarau. Insistirei. Sarau é um evento cultural ou musical realizado geralmente em local onde as pessoas se encontram para se expressarem ou se manifestarem artisticamente. Podendo envolver dança, poesia, leitura de livros e outras formas de arte. Louvo as opiniões do Editor por seu caráter inovador, descontração e as considero como uma reunião festiva virtual realizada no Portal MLB onde foram apresentadas performances artísticas e literárias. Gostei! Minha nota é DEZ!

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

GRITO DE ALERTA

Estou neste mundo de causas e efeitos. Se tudo na vida é relativo; relativa também é a idéia do que cada um faz de sua vida. Acredito em Deus. Mas não dá para acreditar na história de que

Sou um quase septuagenário que vive o seu tempo. Venço batalhas diárias. Se tem uma coisa que não me envergonho e de não ter usado os cargos que ocupei para auferir favores. Tentações houveram, mas, honestamente, consegui superá-las. Muitas vezes tive que bancar o idiota diante de um idiota que bancava o “expertinho”.
Hoje, quando analiso algumas atitudes, mesmo com algumas exceções... Logo me vêem à mente as palavras de Rui Barbosa:
“De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto."
GRITO DE ALERTA

Assistimos a banalização do genocídio,
da tragédia e a destruição da natureza.
Que absurdo!
onde o ser humano chegou!
Mas quem liga?

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

60 ANOS DA DECLARAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS

Vivemos uma das épocas mais frustrantes da humanidade. A globalização foi um dos sinais de identidade mundial, mas que serviu aos interesses negociais. Lamentavelmente, necessitamos urgentemente da “globalização” dos direitos humanos e de líderes incorruptíveis, entregues ao bem comum, como nos diz em palavras Albert Camus, que “entrem no deserto sem água".
A SEXAGENÁRIA DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS.
Escrever algo de direiros humanos é abordar os direitos e as liberdades de todos os seres humanos. Tal conceituação está ligada ao conceto de liberdade de pensamento e de expressão ou seja de igualdade perante a lei.
Uma sexagenária que declara em seu Art. 1º:
Alguns considerandos...
Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família humana e de seus direitos iguais e inalienáveis é o fundamento da liberdade, da justiça e da paz no mundo,
Considerando que o desprezo e o desrespeito pelos direitos humanos resultaram em atos bárbaros que ultrajaram a consciência da Humanidade e que o advento de um mundo em que os todos gozem de liberdade de palavra, de crença e da liberdade de viverem a salvo do temor e da necessidade foi proclamado como a mais alta aspiração do ser humano comum,
Considerando ser essencial que os direitos humanos sejam protegidos pelo império da lei, para que o ser humano não seja compelido, como último recurso, à rebelião contra a tirania e a opressão,
Considerando ser essencial promover o desenvolvimento de relações amistosas entre as nações,
Considerando que os povos das Nações Unidas reafirmaram, na Carta da ONU, sua fé nos direitos humanos fundamentais, na dignidade e no valor do ser humano e na igualdade de direitos entre homens e mulheres, e que decidiram promover o progresso social e melhores condições de vida em uma liberdade mais ampla,
Considerando que os Estados-Membros se comprometeram a promover, em cooperação com as Nações Unidas, o respeito universal aos direitos e liberdades humanas fundamentais e a observância desses direitos e liberdades,
Considerando que uma compreensão comum desses direitos e liberdades é da mais alta importância para o pleno cumprimento desse compromisso.
Dez de dezembro é dia de vigília pela Declaração Universal dos Direitos Humanos de um jeito decidido, lindo e leve, que permita que seu repensado em muitas partes:
Algumas constatações:
O Movimento Humanos Direitos (MHuD), tem desenvolvido uma série de atividades em prol da paz e dos direitos humanos. Ele tem um olhar especialmente voltado para os problemas do trabalho escravo, dos abusos praticados contra crianças e adolescentes, as questões dos quilombolas, do meio ambiente e dos povos indígenas.
Sou e sei que todos são inteiramente a favor dos direitos humanos. Mas, me revolto quando ouço ou assisto na prisão de um sequestrador, ou de um torturador ou estuprador, que os Direitos Humanos estão sempre ali para protegê-lo. È claro, que não estou aqui pregando justiça com as próprias mãos, mas, nunca ou quase nunca ouço falar ou vejo que os defensores dos direitos humanos vão até as famílias que sofreram a agressão criminal, para se solidarizar. Direitos Humanos sim, mas penas severas também. Prisão perpétua é uma saída para mudarmos as mentalidades, e fazer com o que o marginal pense duas vezes antes de praticar o crime. É assim que penso!!
Comemora-se no dia 10 de dezembro a promulgação da Declaração Universal dos Direitos Humanos pela Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas, em 1948. Constituída de trinta artigos, precedidos de um prólogo belíssimo e inspirador. Apresenta-se como um ‘‘ideal comum’’ a ser perseguido pela humanidade.
No Brasil recebeu popularização às avessas, sendo sobretudo identificada com padrões preconceituosos, na famosa e deletéria identificação dos direitos humanos com ‘‘direitos de bandidos’’. Obra de políticos inescrupulosos que exploram o medo da população e a facilidade que um tratamento maniqueísta oferece, esse estigma tem sido um desserviço ao Brasil e aos brasileiros.
Mas do que trata a Declaração Universal dos Direitos Humanos? É indispensável ser lida na íntegra. Para militantes e profissionais da área do Direito, marcados por sua formação e atuação, conhecimento histórico e exegético das matérias, sua leitura é diferenciada.
Ao coordenar a elaboração do Manual Direitos Humanos no Cotidiano, da então Secretaria Nacional dos Direitos Humanos, Unesco e USP, em 1997 e 1998, efetivaram cada um dos artigos da declaração como um capítulo, todos com a mesma estrutura. Na seção ‘‘o olhar de’’, um artista das artes visuais demonstra que sensibilidade e estética têm papel específico e indispensável a desempenhar na transformação da sociedade e do ser humano. Esse entendimento reafirma-se no tratamento iconográfico do manual, visibilizando trabalhos desenvolvidos por indivíduos e organizações da sociedade civil, lembrando que a luta em prol dos direitos humanos é antiga em nosso país.
Na seção ‘‘a palavra de’’, uma personalidade faz um comentário, um poema, dá um testemunho de vida. Encontram-se ali homens e mulheres, jovens e idosos, religiosos e ateus, afro-descendentes, indígenas, orientais, judeus, árabes, federação de indústrias e sindicalistas, vivendo na prática a diversidade etno-racial, cultural, religiosa que há no Brasil. ‘‘Personalidade’’ é quem faz algo por nosso país e pela humanidade, mesmo que os holofotes da fama não estejam sobre seu rosto — todos têm algo a dizer sobre os direitos humanos universais, já que se trata da possibilidade da reconstrução da vida e do ser humano.
Na seção ‘‘a experiência e a contribuição de’’ foram incluídas organizações não-governamentais, fundações e institutos da sociedade civil. Retomada a idéia de que há muito trabalho já desenvolvido, que o campo é vasto e tem sido abordado de maneira fértil — e que existem alternativas para as mais diversas vocações sociais.
A seção ‘‘aspectos jurídicos’’ apresenta estudo detalhado dos instrumentos jurídicos nacionais e internacionais que um cidadão pode invocar para proteger seus direitos e conhecer seus deveres.
A seção ‘‘a tradução indígena’’ foi inserida como forma de, por intermédio do belo texto, prestar, em cada um dos artigos, homenagem aos habitantes imemoriais de nossa terra.
A seção ‘‘o que podemos fazer desde já?’’ traz sugestões que todos têm condições de efetivar. É preciso disseminar a compreensão de que a Declaração Universal dos Direitos Humanos trata do que é básico para todo ser humano: dignidade humana, liberdade e justiça, direito de defesa, direito de ir e vir, direito à educação, à moradia, à saúde, ao desenvolvimento, ao trabalho, a salários dignos, ao lazer, à liberdade de consciência, de opinião e de crença, à liberdade de associação, à nacionalidade, à privacidade, ao acesso aos bens culturais que são patrimônio da humanidade e de seu grupo específico, a ser respeitado independentemente de sexo, raça/etnia, classe social, idade, religião, origem social, enfim, sem discriminação de qualquer tipo que o exclua, direito de não ser escravizado, de não ser torturado, direito a todos os direitos e condições que permitam que o direito mais básico, o direito à vida, possa ser vivido com dignidade, participando da construção da sociedade a que pertence.
Essa listagem sumária e incompleta é ‘‘aperitivo’’ para convidar os leitores a escolher algo que podem fazer ‘‘desde já’’, estimulando a que procurem conhecer o texto integral da Declaração Universal dos Direitos Humanos (site do Ministério da Justiça, da Unesco e ONGs). Hoje, 10 de dezembro, data da declaração, distribuí-la em papel simples, nas escolas e universidades, nos cultos das diversas religiões, nos clubes e restaurantes, nos táxis e nas lojas, nos shoppings, espalhando pela cidade essa que é uma declaração de esperança no ser humano e de confiança em sua capacidade de construir um mundo melhor.
Tão solene declaração, manifestação vívida da consciência humana precisa ser conservada a partir da diversidade que merece todo o respeito. Respeitá-la não é trancafiá-la, mas guardá-la, no lindo sentido que o poeta Antonio Cícero deu a esse verbo
‘‘Guardar uma coisa é vigiá-la, isto é, fazer/vigília por ela, isto é, velar por ela, isto é, estar/acordado por ela, isto é, estar por ela ou ser por ela./Por isso melhor se guarda o vôo de um pássaro/Do que um pássaro sem vôos’’.
Dez de dezembro é dia de vigília pela Declaração Universal dos Direitos Humanos de um jeito decidido, lindo e leve, que permita que seu texto esteja pousado em muitas partes, porque fala da vida e do respeito que o ser humano deve ao ser humano. É um bom dia para celebrar. Não se esqueça! Veja o que pode fazer e saiba que o menor gesto pode fazer a diferença.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

HORA DE PENSAR...

Com a proximidade do final do ano, é uma boa hora para pensar na vida !
Se você não está feliz com seu emprego, se acha que já aprendeu tudo que podia e já é hora de ir para novos desafios ... se você já não tem mais paciência para nada que diga respeito ao seu trabalho ... está na hora de pensar ...
Reavaliar seus objetivos, buscar novas oportunidades com calma e sensatez, nada de sair panfletando seu currículo por ai, para qualquer vaga.

"Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo,
qualquer um pode começar agora a fazer um novo fim."
Chico Xavier
Com muito axé! Desejo ao leitor uma ótima semana!

sábado, 6 de dezembro de 2008

VOCÊ CRESCE...


Você cresce...
Quando aceita a realidade.
Quando aceita e deixa o que passou para trás.
Quando , vivendo o presente, constrói o que tem pela frente.
Este é o custo de viver.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

VIVA A MATURIDADE!

A terceira idade ou a "melhor idade" ou a "felizidade" tem início entre os 60 e 65anos. Nesta fase é fundamental exercitar a capacidade de adaptação...
Em vez de se entregar ao "peso da idade" é melhor aprender a degustar a sabedoria que os sexagenários possuem, isto é, a capacidade de tentar envelhecer com dignidade que só o tempo traz, utilizando a experiência para desafiar os obstáculos do cotidiano.
Ser idoso pode não ser mérito... Ser idoso pode significar ser pintado como caquético... Ser idoso é ser desprezado como força de trabalho... Ser idoso é ser considerado ultrapassado... É injustiça ou discriminação? Uma coisa é certa: não podem deixar de reconhecer os tesouros de sabedoria que os idosos são detentores. O processo de envelhecimento e as patologias características da terceira idade dependem, basicamente, de três fatores: biológico, psíquico e social. Estes são os fatores que podem preconizar a velhice, acelerando ou retardando as doenças e os sintomas da idade. Envelhecer não significa se tornar mais frágil ou apenas esperar a vida passar. É aproveitar as experiências da vida para ser cada vez mais feliz e ativo.
Se cheguei onde estou... Foi com muito sacrifício... Não vivo de ficções e fantasias... Tenho consciência plena de que o poder é poder aqui e na China... Não sou um alienado e não me transverto em empavonado arauto no exercício da bajulação... Muito embora digam: manda quem pode, bajula quem tem juízo... O que reluz é o axioma: O poder é infalível, intocável, inatacável e está acima do mal e do bem. E aquele que viceja à sombra poderá colher frutos ligeiros, indiferentes à desgraça da grande maioria dos aposentados que se encontram abandonados sob o sol inclemente da excludência social.
Quando um idoso imita um jovem, o resultado pode ser cômico ou trágico, dependendo do talento de quem imita e do espírito de quem observa... Imagine, por exemplo, os comentários surgidos quando furei a orelha esquerda e passei a usar um pequeno brinco. Os críticos esqueceram-se de que o preconceito é o argumento de pessoas pouco esclarecidas. Por estas e outras é que desejo ser tão somente cabeça boa... Por estas e outras é que dou vivas à minha maturidade... Por estas e outras é que, mesmo sofrendo alguns constrangimentos, não tenho por hábito me colocar a serviço dos que fazem a história, mas daqueles que a sofrem...
Nas palavras de Christopher Morley, escritor americano: "A vida é um idioma estrangeiro: algumas pessoas a falam mal". Eu não sou diferente: às vezes não me é possível tolerar nos outros o que permito a mim mesmo.Tendo como atenuante a tentativa de imitar o sábio que, na opulência, permanece modesto. Não é fácil!
Viver é uma dádiva... Sobreviver no mundo atual é uma bênção...
AEQUAM MEMENTO REBUS IN ARDUIS SERVARE MENTEM
(Lembra-te de manter o ânimo justo nos momentos difíceis).

VIVA A MATURIDADE!

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

QUAL A SAÍDA?

Sou do tempo do “cala a boca menino”. Hoje educar uma criança é responder sempre, responder tudo ou explicar que aquele assunto específico, no momento, está além de sua compreensão. Mas será que está mesmo?
É uma quantidade enorme de informações que a crianças absorve sem que isto interfira com o fato mais importante, o de que é criança. Até que ponto as informações vão se firmar em sua pequena cabecinha, e a partir de que ponto, vai assoberbar sua mente gerando um risco de bloqueio.
Qual a saída? Amar, educar, prover, orientar, ajudar, ser amigo e pai.

domingo, 30 de novembro de 2008

ENVELHECER...

Saber envelhecer é uma conquista!
Saber envelhecer é relembrar, sem mágoa,
embora com saudade, os tempos da mocidade.
É tirar da mente a idéia de que a velhice é doença.
É viver longe da ilusão de que o tempo parou,
de que a juventude de espírito
em algum lugar estacionou...
Mesmo não tendo a energia de antes...
Estou vivo, acordado e energizado.


sexta-feira, 28 de novembro de 2008

LOBO DO PRÓPRIO HOMEM...


A natureza é selvagem, terrivelmente, sem sentido e imprevisível. O que distingue os seres humanos dos animais é sua capacidade de falar em prol do mal.

Assim sendo, com muita propriedade: "O homem é lobo do próprio homem" (Hobbes)

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

BOM HUMOR

Pense em tudo de bom que há na sua vida: sua família, seu emprego.
Pense que você é um privilegiado em poder ver, sentir, falar, ouvir.
Pense que a vida é uma benção.
Pense que os seus problemas são muito pequenos pelo que a vida proporciona de bom e na alegria que é estar vivo.
Leve a vida leve e, assim, não haverá mau humor que resista.

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

JOGO DA VIDA


JOGO DA VIDA

No jogo da vida
Curto o entardecer
Meu alimento é a verdade
Adoro a leveza do ser.
Com dignidade
Aceito o envelhecer.
No jogo da vida
Não dá para improvisar...
A vida não dá
Ela simplesmente retribui...

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

GRITO DE ALERTA

GRITO DE ALERTA


Assistimos a banalização do genocídio,
da tragédia e a destruição da natureza.
Que absurdo!
Onde o ser humano chegou!
Mas quem liga?


domingo, 16 de novembro de 2008

FERNANDO PESSOA

O valor das coisas não está no tempo que elas duram,
mas na intensidade com que acontecem.
Por isso existem
Momentos inesquecíveis
Coisas inexplicáveis
Pessoas incomparáveis.

sábado, 15 de novembro de 2008

SORRIA...

Sair por aí de cara fechada, emburrado feito um buldogue, só vai piorar o seu dia. Sorria!
Manter o bom humor, vai melhorar o seu relacionamento com as outras pessoas.
Se for muito difícil sorrir, pelo menos esteja aberto para receber um sorriso.
A vida é feita de muitas escolhas... Às vezes as opções que temos são uma pior do que a outra...
Hum!!! Isso parece conversa de auto-ajuda, mas não é. Trata-se de uma verdade pura, dura e crua do caminhar na trilha do social...
Embora todos nós tenhamos vindo ao mundo nu.
Em sociedade, muitas são as diferenças entre os seres humanos e as formas de avaliação. Um ser humano pode ser avaliado pela cor da pele, pelo número de línguas que fala, pelas roupas que veste, pelas jóias que usa, pela profissão que exerce. Independentemente de qualquer rotulagem, a primeira impressão é a que fica. Portanto, domine alguns comportamentos para não passar por atropelos na trilha do social. Ter boas maneiras não é privilégio de nenhum ser humano.
Errou? Recomece. Não importa onde você parou...Em que momento da vida você cansou? O importante é que sempre é possível "recomeçar". Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo... É renovar as esperanças na vida e, o mais importante, acreditar em você de novo. Infelizmente, embates e cobranças existem entre os seres humanos dos diversos segmentos sociais. Não se trata de preocupação em vão... De maneira subliminar convivemos com gostos e atitudes preconceituais...

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

O EGOÍSMO

O egoísmo, muitas vezes, nos turva a visão e nos faz ver as coisas de forma distorcida.
Faz-nos esquecer os verdadeiros valores da vida e buscar coisas que têm valor relativo e passageiro.
Importante que, no dia-a-dia, façamos uma análise e coloquemos na balança os nossos bens mais preciosos e passemos a dar-lhes o devido valor.
("O bem mais precioso", do Livro das Virtudes II)

domingo, 9 de novembro de 2008

CUIDE-SE!

O talento educa-se na calma, o caráter no tumulto da vida.
Goethe
Sem medo de dizer: eu quero, eu gosto, eu estou com vontade. Talvez aí resida a grande fórmula de fazer a vida bonita ou fazer bonita a sua vida ou de fazer bonitaça a sua vida. A ordem das frases não alterará o produto, sempre que ela seja a mais verdadeira e a mais autêntica expressão de tudo o que você é realmente e sempre foi.
Faça coroas de margaridas e enfeite a sua cabeça. Nunca esqueçamos de que a vida se tornaria insuportável senão nos proporcionasse mudanças.
Você existe! Seu conteúdo já é um manifesto. Não se preocupe muito com as possíveis definições que lhe sejam imputadas. Cuida da sua forma. Cuide da sua voz. Ame-se o suficiente. Estimule a sua compreensão, a sua generosidade e cultue o respeito mútuo. Cuide-se!
Expresse a sua individualidade. Transe a sua sexualidade. Apóie-se em seus talentos e virtudes. Concentre-se em seus objetivos. Contanto que os antigos erros não se repitam: - Não tenha vergonha! Cometa novos erros. Ria das besteiras que você já fez. Simplifique a sua vida. A vida não dá nem empresta, não se comove e nem se apieda. Tudo o ela faz é RETRIBUIR.
Derrube as cercas das opiniões alheias. O que interessa não é a embalagem e sim o conteúdo. Infelizmente, o que vemos é cada vez mais que não é preciso ser, basta parecer ser.
Respeite-se! Valorize-se! Cuide-se

sábado, 1 de novembro de 2008

NESTE 2 DE NOVEMBRO...

Já plantei uma árvore...
Fiz um filho e escrevi vários livros...
Desejo ser tão somente "cabeça boa"...
Que eu possa ir além das aparências...
agradecendo a Deus, mais do que peço,
por tudo o que a mim foi concedido...
Mesmo convicto de que a velhice já começou...
Que eu possa manter a juventude do meu espírito...
Que eu, diante do moderno,
sem corromper os meus princípios,
saiba aceitar o novo...
Que eu contribua,
de alguma forma,
para termos um mundo mais justo e solidário.
Velho é aquele que perdeu o entusiasmo.
Tenho um eterno gesto de gratidão
por meus pais (já falecidos)
por terem permitido
que eu viesse cumprir meu ciclo terrenal.
O mesmo sentimento tenho por quem
durante mais de 45 anos me estimula e apóia,
enfrentando com elevado ânimo,
carinho e dedicação os momentos difíceis de nossas vidas,
pelas alegrias,
pelos sonhos acalentados,
pelos dias compartilhados,
pelos risos e lágrimas,
nossos sucessos e até desapontamentos:
refiro-me a minha mulher.
Não posso deixar de incluir neste gesto de gratidão,
a outra importante parte de minha vida:
a minha filha.


"As pessoas entram e saem de nossas vidas, mas não vão sós,
já que deixam um pouco de si para nós e arrebatam um pouco de nós para si."

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

IN MEMORIAM

Para aqueles que te amam você permanece viva. Permanecerá viva através das memórias.
"Ninguém morre enquanto permanecer vivo na memória de alguém".




sexta-feira, 24 de outubro de 2008

TUDO PARECE NORMAL...

Preciso refazer-me...
Preciso reencontrar-me .
Preciso, em todas as ocasiões, da razão.
Preciso acostumar-me com o mando e o desmando social...
Preciso acostumar-me com a "evolução!!!" dessa sociedade insensível...
Preciso me acostumar com o que muitos dizem:
- Isso tudo é normal nos dias de hoje.

TOLERANTE...

Ser tolerante significa a tendência de admitir modos de pensar, agir e sentir que diferem entre indivíduos. Muitas vezes confundimos tolerância com conivência.
Tolerância é a habilidade de conviver, com respeito e liberdade, com valores, conceitos ou situações que, nem sempre, concordamos, portanto, há convivência mas, não há, obrigatoriamente, concordância. Conivência é a convivência em que, mesmo não concordando com certos valores, conceitos e situações, deixamos de expressar nosso parecer desfavorável, não refutamos mesmo que só em pensamento e, não reprovando, estamos tacitamente autorizando, aceitando, gerando cumplicidade.
Deus é tolerante com o pecador, não com o pecado. Se Deus fosse tolerante com o pecado, seria pecador também, o que é uma blasfêmia. Pode-se viver com pecadores e ser tolerante, sem ser conivente.
Devemos ser tolerantes com nossos filhos quando eles erram, não podemos ser omissos e coniventes com o erro, devemos expressar nosso descontentamento e corrigir o desvio. É dever e responsabilidade de todo o pai.
A tolerância também esta ligada à democracia, pois a tolerância nos faz admitir, que nosso voto seja vencido, acabando-se os argumentos, feita a votação; o resultado tem que ser respeitado e apoiado para o bem da causa maior, isso nos parece que seja um sentimento, ou melhor dizendo, uma atitude tolerante.
Mahatma Gandhi afirmou: "Desconfie das pessoas que vendem ferramentas, mas que nunca as usam, ou seja, como pregamos tolerância se dela não fazemos uso." Portanto a prática da tolerância é indispensável para todo aquele que a exige.
A tolerância está ligada, como ponto de partida às concessões feitas para preservar, admitir e respeitar as opiniões contrárias.Shakespeare disse "não importa" o quão boa seja uma pessoa, ela vai feri-lo de vez em quando e você precisa perdoá-la por isso". Devemos ser tolerantes com atos destemperados e isolados, tolerantes com o desconforto causado pelos intolerantes. Sendo bondoso ao extremo em não tomar partido até que tudo seja esclarecido, pois o fato de não fazermos juízo precipitado, é uma das faces da tolerância.
Em síntese, precisamos ser tolerantes com a intolerância do outro, para que ele reflita e passe a seguir o seu exemplo.
A tolerância está na Sabedoria e faz se sentir no respeito à individualidade e ao direito do outro.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

O NOSSO ABRAÇO...

Em giro rápido pela Europa (Madri, Paris e Londres). Algumas amabilidades... Podemos citar dos venezuelanos e paraguaios. Dos argentinos nem pensar... Prevaleceu a rivalidade...
Poucos dias... Momentos que não voltam mais...
Viajamos com destino certo
Caminhos desconhecidos
Encontramos luzes reluzentes...
Cores vibrantes...
Novos hábitos! Sim
Novos costumes! Sim
Ouvimos de outra civilização
vozes, risos e outras coisas mais...
Diferenças de idioma! Sim
Reinou a fraternidade universal.
Não ficamos sozinhos!
Afinal até o Pai tem o Filho
e o Espírito Santo.
Nós tivemos
O Rafael e a Anne
A Olivia, a Myriam e a Sandra.
A todos o nosso abraço.



sábado, 18 de outubro de 2008

SAUDADES

"Alguém disse que o produto inescapável de qualquer processo de pensamento é o paradoxo. Um pensamento que não termine em paradoxo é porque ainda não chegou ao fim. Nascer... Viver... Morrer... Sentir saudades ou um lembrança nostálgica e, ao mesmo tempo, suave de pessoas ou coisas distintas ou extintas, acompanhada do desejo de tornar a vê-las ou possuí-las".
Autor desconhecido
SAUDADES
A saudade tem sido relacionada, ao longo do tempo, ao sofrimento, à tristeza e, principalmente, à saudade que sentimos dos que já partiram desta vida. Onde a tentativa de substituição nos conduz ao sofrimento. Muito embora digam que ninguém é insubstituível, tentativas de substituição fazem piorar, ainda mais a saudade, criando um sentimento de angústia.
Temos de saber sentí-las, fazendo com que sejam para nós um esteio e não um ponto de fraqueza. Você já tentou associar ou substituir saudade por lembrança?
Lembrar dói menos. Lembremos, com alegria, aqueles que amamos pelo muito que representaram e pelos momentos que juntos estivemos. Independente de nossas convicções religiosas há de acreditar-se que eles continuam a viver em um lugar especial, onde as desigualdades não existem e a paz está sempre presente.
Existe um momento na nossa existência em que a morte faz parte da vida e contra a qual não podemos lutar... E nem devemos por tratar-se de uma situação inerente ao ser humano: nascer... viver... e um dia morrer...
Deixar se sentir saudades? Impossível.

domingo, 5 de outubro de 2008

AUTODIDATA...

No livro de minha autoria, "Revivendo o Passado...", lançado em 27 de abril de 2002, abordei o início de minha carreira na Marinha do Brasil: as lutas com os estudos, o despertar para a realidade da vida, etc etc. Sob o título, ora apresentado, acredito valha à pena dizer que no mundo globalizado ser "autodidata" é estar inserido de modo proativo no seio da sociedade, em outras palavras é não ficar analfabeto digitalmente. No Brasil, temos alguns milhões de indivíduos nesta condição. Estes são, em princípio, os marginalizados universais. No mundo globalizado existem também os analfabetos funcionais, isto é, um dia freqüentaram uma "soir disant" escola, aprenderam a soletrar e talvez fazer alguns garranchos, sem saber nem para que, nem porque, e conseqüentemente, logo tudo esqueceram resignando-se à marginalidade em que vivem...

Qual a diferença entre o analfabeto e o autodidata? O verdadeiro analfabeto é aquele, completamente, desprovido de sentido crítico, que lê e escreve, mas continua usando seu direito de opinião apenas para bater palmas a seus opressores pensando assim assegurar uma posição no degrau da escala em que alguém o colocou. No mundo globalizado "analfabeto", entre outros, é aquele que não sabe usar um computador.

Nesta linha da raciocínio: a relação do homem com a tecnologia é mais um fator de desigualdade social. No Brasil a taxa de acesso ao computador é baixa na área urbana e ridícula na rural. O resultado é lamentável: a maioria da população é vítima da exclusão digital.
Na contra-mão dos fatos e até se contrapondo, as novas gerações já nasceram em um mundo imerso nas novas tecnologias, pertencem a civilização icônica. Nestes termos devemos considerar a existência de uma geração pré-icônica.

Quem quiser sobreviver no mundo globalizado deve, entre outras qualidades, ser um autodidata. Observe como alguns integrantes da geração pré-icônica se comportam, por exemplo, defronte de um computador, diante da máquina de vídeo-game e no banco: ao invés do terminal eletrônico, preferem a fila do caixa.

Pode parecer lugar comum, mas diante da longevidade, as antigas gerações devem se alfabetizar digitalmente. Quanto aos classificados como "civilização icônica", diante das novas tecnologias, devem ter o senso crítico, o pensamento hipotético e dedutivo, a capacidade de memorizar e criticar. Devem desenvolver a leitura e a análise de textos.

No meu tempo de marujo ser autodidata tinha outra conotação. Tenho muito orgulho de ter sido um marujo autodidata e, em que pese a distância no tempo e no espaço, considero-me incluído no mundo digital.

Quando o tataravô do microcomputador surgiu, em 1945, nos Estados Unidos, ninguém imaginava que em menos de cinco décadas, tal instrumento de 30 toneladas fosse causar uma revolução nos hábitos da sociedade moderna. Constratando com as dimensões dos laptops atuais que são extremamente leves e possuem apenas dois centímetros de altura. O ENAC (Electrical Numerical Integrator and Calculator), como era chamado o primeiro computador eletrônico, precisava de dezoito válvulas para funcionar e despendia o equivalente a 200 quilowatts de calor. Sua manutenção era complicada, pois esquetava rapidamente e as válvulas começavam a queimar dois minutos após ser ligado. As novidades não param de surgir, simplificando ainda mais a vida das pessoas, como os "handhelds" baseados no sistema Pocket PC e as multifuncionais com recursos integrados de impressora, scanner, copiadora e fax. Até os telefones fixos entraram para o time, incorporando, facilidades do mundo moderno.

Fique atento à modernidade! Hoje é impossível pensar como seria a vida sem o auxílio do cumputador, que com o desenvolvimento tecnológico passou a fazer parte do dia-a-dia das pessoas no trabalho, no supermercado, no banco, no automóvel, em casa etc. Se você faz parte do universo de pessoas que enxergam o computador como uma "caixa preta", o primeiro passo é se conscientizar: de misterioso ele não tem nada.

Para mim, no mundo moderno, ser um autodidata é uma questão de sobrevivência.

Nas palavras do poeta e ensaísta inglês Joseph Addison (1672-1719):
"O que a escultura faz ao mármore, a instrução faz à alma humana".

sábado, 4 de outubro de 2008

VERDADE. VERDADEIRA.

"Quase todos os homens são capazes de suportar adversidades,
mas se quiser por à prova o caráter de um homem, dê-lhe poder".

Abraham Lincoln
(February 12, 1809 – April 15, 1865)
16th Presidente of The United States

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

CAMINHÃO DA FELICIDADE

_________________________________________________
......“““““\\_...................*SAÚDE! PAZ! PROSPERIDADE!*.“““\\____
_ _ __)...........!(@)“(@)““''**!(@)(@)***! (@)(@)***!(@)(@)***! (@)°

domingo, 28 de setembro de 2008

SOCIÉTÉ ACADÉMIQUE DES ARTS, SCIENCES ET LETTRES



Para visualizar com nitidez o documento dê dois cliques com o botão esquerdo do mouse.

MUDE...

Acabo de receber um texto de Clarice Lispector. Achei a leitura interessante:
"Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua. Depois, troque o caminho, ande calmamente por outras ruas, observando com atenção os lugares por onde você passa.
Durma mais tarde. Durma mais cedo.
Coma um pouco menos, coma um pouco mais, coma diferente, escolha novos temperos, novas cores, coisas que você nunca ousou experimentar. Almoce mais cedo, jante mais tarde, ou vice-versa. Almoce em outros locais, vá a outros restaurantes, tome outro tipo de bebida, compre pão em outra padaria.
Tente o novo todo dia: o novo lado, o novo método, o novo sabor, o novo jeito, o novo prazer, a nova posição.
Escolha outro mercado, outra marca de sabonete, outro creme dental.
Use canetas de outras cores. Troque de bolsa, de carteira, de malas, compre novos ósulos, tente escrever poesias.
Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as seja criativo. Experimente coisas novas. Troque de novamente. Mude, de novo. Experimente outra vez.
Assista a outros programas de TV, leia outros livros e jornais.
Durma mais tarde. Durma mais cedo. Durma no outro lado da cama.Em seguida, procure dormir em outras camas.
Sente-se em outra cadeira, do outro lado da mesa. Mais tarde mude de mesa. Tire uma tarde para passear livremente, ouvir o canto dos passarinhos ou o ruído das águas de uma cachoeira.
Tome outros ônibus... Mude por uns tempos o estilo das suas roupas. Dê os sapatos velhos e procure andar descalço alguns dias - nem que seja em casa.
Você com certeza conhecerá coisas melhores e coisas piores do que as já conhecidas, mas não é isso o que importa. O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia.
Comece devagar... Porque a direção dos seus atos será mais importante do que a velocidade".
Afinal o que é o tempo? É vento, é chuva, é sol. Eternidade ou momento? Vivemos tão empenhados em esconder o que sentimos que acabamos escondidos de nós mesmos. Nas mudanças empreendidas em nossas vidas mais vale o coração partido do que ter a alma ferida.
No túnel transforme pensamentos... Mude... Pois nas palavras de Henry James:
"O ser humano é a soma de suas fantasias".
Mude... Só o que está morto é que não muda, e você está vivo. Lembre-se de que a primeira pessoa que precisa acreditar no que você diz e faz é você mesmo.

sábado, 27 de setembro de 2008

VIRTUDE

Aristóteles afirmou que a virtude é um traço de caráter manifestado no agir habitual. O “habitual” é importante. A virtude da honestidade, por exemplo, não é possuída por alguém que diz a verdade apenas ocasionalmente ou quando isso lhe é vantajoso. A pessoa honesta é naturalmente veraz; as suas ações “brotam de um caráter firme e inabalável”. Isto é um começo, mas não basta. Não distingue as virtudes dos vícios, pois os vícios são também traços de caráter manifestados nas ações habituais.
Edmund L Pincoffs, um filósofo que lecionou na Universidade do Texas, fez uma sugestão que resolve este problema. Pincoffs sugeriu que as virtudes e os vícios são qualidades a que nos referimos para decidir se alguém merece ser procurado ou evitado. “Nós preferimos alguns tipos de pessoas, outros evitamo-los”, afirma. “As particularidades na nossa lista [de virtudes e vícios] podem servir como razões para preferir ou evitar pessoas”.
Procuramos pessoas por razões diferentes, e isto tem implicação nas virtudes relevantes.
[1] Quando procuramos um mecânico de automóveis, queremos alguém habilidoso, honesto e consciencioso;
[2] Ao procurar um professor, queremos alguém com conhecimentos, fluente e paciente.
Assim, as virtudes associadas à reparação de automóveis são diferentes das virtudes associadas ao ensino.
Mas também avaliamos as pessoas enquanto pessoas, de uma forma mais geral, pelo que temos não apenas o conceito de um bom mecânico ou de um bom professor, mas de uma boa pessoa.
As virtudes morais são as virtudes das pessoas enquanto pessoas. Aproveitando a deixa de Pincoffs, podemos, pois, definir uma virtude como um traço de caráter, manifestado nas ações habituais, que é bom uma pessoa possuir. E as virtudes morais são as virtudes, que é bom todas as pessoas possuírem.

VINGANÇA...








Vingança...

Me abandonaste.
Quero ver-te na palma da mão
me vingo e acabo contigo.

domingo, 21 de setembro de 2008

CAMINHANDO...

Ai do mundo, tão afetado pelos aproveitadores que lucram com a ignorância alheia. Pobre espaço onde haja excesso de materialismo e pouca espiritualidade que gera um desiquilíbrio permisso à abertura das portas da violência desenfreada, alimentadora do egoísmo centralizador.
Tenhamos em mente que as nossas fantasias estão ligadas ao mundo da imaginação e relacionadas aos cinco sentidos do corpo humano: visão, audição, olfato, gosto e tato.

Cogito, ergo sum - Penso, logo existo. Quem não se pergunta por quê? A vida é feita de caminhos livres e diversificados. Quem nada acrescenta à sua vida: Não vive, vegeta. Trai sua condição do homo sapiens. Desperdiça um dom que lhe foi dado por Deus.
É necessário abordar de forma aberta e séria as questões, abrindo espaços para novas discussões, revolver e repensar os princípios sociais quanto aos preconceitos. Não esquecendo que através do pensamento podemos avaliar o progresso social e compreendermos melhor os nossos semelhantes e a nós mesmos. Aproveitemos cada segundo de nossas vidas como se fosse o último: desejando sempre o bem para os outros. Que estas sejam as suas vibrações. Que a sua vida seja longa e feliz.
O que torna importante uma conversa diferente é o compartilhar atitudes sadias, ter a serenidade no convívio com os semelhantes. Caminhemos em prol de um mundo mais feliz e solidário. Um mundo onde se cultue as artes e onde os sentimentos possam realmente ter mais valor do que os bens materiais.
Para aqueles que pretendem se aperfeiçoar, valem os conselhos contidos na mensagem encontrada na antiga Igreja de Saint Paul, em Baltimore, datada de 1692:

"Vá plácido entre o barulho e a pressa lembre-se da paz que pode haver no silêncio. Tanto quanto possível, sem capitular, esteja de bem com todas as pessoas. Fale a sua verdade, clara e calmamente; e escute os outros, mesmo os estúpidos e ignorantes, pois também eles têm a sua história. Evite pessoas barulhentas e agressivas. Elas são tormento para o espírito. Se você se comparar a outros, pode se tornar vaidoso e amargo, porque sempre haverá pessoas superiores e inferiores a você.
Desfrute suas conquistas, assim como seus planos. mantenha-se interessado em sua própria carreira, ainda que humilde; é o que realmente se possuir, na sorte incerta dos tempos. Exercite a cautela nos negócios, porque o mundo é cheio de artifícios. Mas não deixe que isso o torne cego à virtude que existe; muitas pessoas lutam por altos ideias e, por toda parte, a vida é cheia de heroísmo. Seja você mesmo. Principalmente, não finja afeição, nem seja cínica sobre o amor, porque, em fase de toda aridez e desencanto, ele é perene como a grama.
Aceite, gentilmente, o conselho dos anos, renunciando, com benevolência, às coisas da juventude.
Cultive a força do espírito, para proteger-se, num infortúnio inesperado.
Mas não se desgaste com temores imaginários. Muito medos nascem da fadiga e da solidão.

Acima de uma benéfica disciplina, seja bondoso consigo mesmo. Você é filho do Universo; não menos que as árvores e as estrelas, você tem o direito de estar aqui.
E que seja claro, ou não, para você, sem dúvida o Universo se desenrola como deveria. Portanto, esteja em paz com Deus, qualquer que seja a sua forma de conhecê-lo, e, sejam quais forem sua lida e sua aspirações, na barulhenta confusão da vida, mantenha-se em paz com sua alma.
Com todos os enganos, penas e sonhos desfeitos, este ainda é um mundo maravilhoso.
Esteja atento!"


Tudo isto pode parecer utopia, mas se desprezarmos a púrpura do poder, o dourado das moedas, a obscuridade da vaidade, o isolacionismo do egoísmo, a soberba do orgulho e passarmos a cultivar a beleza da simplicidade, a riqueza da sabedoria e o amor fraternal, estaremos no caminho do êxtase da felicidade social...
Como vivemos a época do utilitarismo, gerador do capitalismo selvagem... estamos integrados em uma sociedade em plena mutação e devemos nos acautelar para que não tenhamos nenhum desvio de conduta, preconceito ou segracionismo...
Prossigamos, vivendo e lutando pelo dia de amanhã. Nesse contexto cito Winston Churchill:
"Vivemos com o que recebemos, mas marcamos a vida com o que damos".

terça-feira, 16 de setembro de 2008

NA LINHA DO TEMPO...CARLOS DE LAET


Quem leu os discursos, conferências, crônicas e até as polêmicas de Carlos de Laet teve a sua atenção voltada para a impressionante maneira com que foram expostos... Deparou-se com um linguagem que não se extenuou pela marcha inexorável do tempo... Palavras que, se trazidas para os tempos atuais, nos levam a sair do confirmismo. Laet como conferencista alteou a voz com tanta nitidez e vigor que ecoam até os dias atuais... Sua vida de desprendimento, de amor à Pátria e ao próximo, transcende, em muito, o que hoje constatamos no trato com tais sentimentos.

18 de junho de 1876 - Carlos de Laet inicia as atividades jornalísticas no Diário do Rio de Janeiro, onde colaborou até 1878, redigindo, com o pseudônimo de "Nec", os folhetins dominicais.



15 de setembro de 1911 - Carlos de Laet - Professor do Colégio Pedro II, ao ensejo da Reforma Ridávia Correia, é colocado em disponbilidade pelo governo de Hermes da Fonseca.

Agosto de 1925 - é exonerado do cargo de Diretor do Colégio Pedro II.

Carlos de Laet chegou a ser considerado ao lado de Rui Barbosa e Machado de Assis parte da "tríade gloriosa da suprema perfeição linguística nacional". Poucos o superaram no humor fino e sempre surpreendente. Todos os brasileiros deveriam ler os escritos de Carlos de Laet: o jornalista, o poeta, o professor que nasceu no Rio de Janeiro em 3 de outubro de 1847 e que faleceu em 7 de dezembro de 1927.

Carlos de Laet não trocou a liberdade pelo abrir mão de suas convicções.Não bastasse ter sofrido perseguição dos republicanos. O foi também por ocasião da Revolta da Chibata. Como jornalista refugiou-se em São João Del Rei.

Carlos de Laet um fervoroso católico, como Presidente do Círculo Católico da Mocidade, serviu à Igreja do Brasil. O ingualável Laet, recebeu de dois Papas, Le~]ao XII e Pio X, honrosas distinções e o Título de Conde Papalino. Na Academia Brasileira de Letras (ABL) ocupou a cadeira 32 que tem como Patrono Araújo Porto Alegre. Foi eleito presidente Presidente da ABL em 1914, na vaga de Rui de Barbosa. Cargo que ocupou até 1922.


Estejamos certos de que houve uma lamentável e talvez intencional confusão entre o homem de convicções, de personalidade e de ilibado caráter.

Nas palavras de Ramiz Galvão, sucessor de Carlos de Laet na ABL, disse o seguinte:

"Laet foi um modelo de coragem cívica, que jamais se desmentiu nem diante de ameaças, nem por amor de mesquinhos interesses".

domingo, 14 de setembro de 2008

REFLEXÃO...

Autoria de Nely Albuquerque publicada em www.mhariolincoln.jor.br
Depois da escuridão
De tempos em tempos, parece que um vendaval ameaça o nosso viver. Olhamos somente fortes nuvens de tempestade em nossas cabeças. A tristeza nos envolve de dor, angustia, sofrimento, como nos preparando para algo de muito ruim ameaçando por vir, dias escuros, sombrios, o céu chorando com lágrimas de chuva. Eis que de repente, surge o sol brilhando num imenso clarão anunciando um novo dia radiante de raios de brilhantes espargindo para todos. Saúde-o com o melhor de seu sorriso e pense: Veio a claridade do céu, anunciando a esperança, a volta da alegria, o fim da dor, e a certeza que dias melhores virão. Espere com fé os amanhãs da vida.

Assuma a sua vida
Muitas pessoas já lhe desiludiram, porque eram vistas como ilusão, mas a responsabilidade não é delas porque todo o poder é seu, aprenda com seus erros e liberte as pessoas. Livre seu coração do ódio e do ressentimento. Assuma o seu poder de responsabilidade aprendendo com seus erros: Cada ser livre pertence a si mesmo e ninguém sabe o seu amanhã. Então, solte tudo, o sonho e imagem depressiva que tem de si mesmo. Amanhã, o mundo tudo muda. Não deixe o passado domina-lo. Deixe o presente nos dominar. Viver na ilusão é sonhar sem ter o pé no chão. Vamos renascer alcançando a realidade. Abandonando-se a vida nos livrando de todo o empecilho, liberte-se da sua vida dizendo:“Eu não espero nada de ninguém. Nada de quem vive a sonhar. Me solto no espaço de quietude interior, assim calma fico no meu aqui e agora, muito mais presente e isso é o que me basta.

sábado, 13 de setembro de 2008

COLOCAR TUDO EM ORDEM


Confúcio - 500 aC
"Os grandes antigos quando queriam propagar suas altas virtudes,
punham os seus Estados em ordem”.
*******
Antes de porem seus Estados em ordem, punham em ordem suas famílias;antes de porem em ordem suas famílias, punham em ordem a si próprios.
Antes de porem em ordem a si próprios, aperfeiçoavam suas almas, procurando serem sinceros consigo mesmos e ampliando ao máximo seus conhecimentos.
A ampliação dos conhecimentos, decorre do conhecimento das coisas como elas são (e não de como queremos que elas sejam ) .
Com o aperfeiçoamento da alma e o conhecimento das coisas, o homem se torna completo; e quando o homem se torna completo, ele fica em ordem.
E quando o homem está em ordem, sua família fica em ordem; e quando sua família está em ordem, o Estado que ele dirige também fica em ordem.
E quando todos os Estados ficam em ordem, o mundo inteiro goza de Paz e Prosperidade.

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

AMIGO

Do livro de minha autoria FATOS E REFLEXÕES.

Segundo o Dicionário Aurélio AMIGO é estar ligado a outrem por laços de amizade.
Infelizmente, nem sempre sabemos conduzir uma amizade... Amizade tal qual as flores murcham. Como é difícil alimentar-se uma amizade. No mundo moderno amigo não é quem foi amigo... Amigo é quem está sendo amigo... Amigo é aquele de quem podemos tirar algum proveito.
Recentemente, um amigo solicitou-me um favor. Fui aconselhado a não atendê-lo. E não atendi. Sabem o que tal fato gerou? A nossa amizade foi o brejo. Naquela época conSultei o dicionário para verificar o significado da palavra "buriti"; encontrei como sendo uma palmeira (mauritia vinifera). Caso eu tivesse atendido aquele pedido teria me transformado em "laranja".
Há períodos em que me afasto, por motivos particulares, de alguns amigos. Mesmo assim eles estão presentes na memória e nas orações. O caminho do trem da vida às vezes me conduz ao ficar até contra os interesses de uma sincera amizade.
O lado obscuro do amigo é que o "interesse", algumas vezes, passa a ser o fator mandatório nas amizades. Palavra malditosa: interesse. O fato é que ser amigo gera amizade... Amizade é escolha... Amizade é um sentimento... Sentimento é adrenalina... Adrenalina que completa o "mix", alterando o conjunto racional e emocional. Para atendermos um amigo, o emocional não deve sobrepujar o racional. Caso contrário além de arcarmos com as consequências e ônus do impensado gesto, ainda perderemos o amigo.
Muito embora Amigo seja aquele de quem se espera e exige-se perfeição... Mesmo que venham a ser tornar "antagônicos" temos o direito de não atendê-los...

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

CEGOS?

Autora: Alessandra Lesles Rocha
Publicado em: http:www.paralerepensar.com.br
10/09/2008
Quanto mais me rendo a observação da humanidade mais me inquieto diante de sua cegueira coletiva. Sim! Muitos de nós estão cegos! Não me refiro a cegueira que acomete aos olhos e impede uma visão clara do mundo ao redor; mas, algo que compromete os sentidos e bloqueia a percepção pessoal e coletiva da vida, do cotidiano, da própria existência.
Se o jiló é um exemplo trivial da amargura e sua lembrança nos repugna com tanta veemência o paladar, por outro lado nossa cegueira conduzi-nos a fazer das experiências diárias degustações de jilós sem piedade. É como se a mente não conseguisse correlacionar as duas vertentes ruins e nos impingisse a transferir o desagrado semelhante sem identificá-lo como tal.
Os sentidos humanos parecem letárgicos em alg uns momentos e em plena confusão em outros, o que torna tudo sem foco, sem cor e sem luz para o Homo sapiens do século XXI. Olhos que vêem e não decodificam a imagem real. Ouvidos que ouvem e não decodificam mensagens. Narizes que cheiram e não decodificam odores. Bocas que engolem e não decodificam o que estão degustando. Peles que sentem e não decodificam o toque.
A cegueira pôs em questão o certo e o errado, o querer e o poder, o ser e o ter, o viver e o morrer. Sua profundidade corrompeu-lhe os princípios, a ética e a moral. Para um cego tamanha desorientação é o que de pior pode lhe acontecer.
Como quem entra num quarto escuro, os primeiros momentos são difíceis, mas gradativamente o ambiente torna-se familiar; por isso, é preciso atenção, reduzir a velocidade dos pensamentos e ações, estabelecer-se na nova condição para buscar a saída dela. Não somos cegos! Estamos cegos! Esta diferença básica e fundamental nos permite transpor as barreiras e retomar as rédeas da situação. O que nos incomoda, nos infelicita, não tem que ser perpetuado mesmo sob outras perspectivas; há de se extirpar ou se possível converter em algo mais feliz e produtivo. Se "em terra de cego quem tem um olho é rei", vamos tomar posse de nossos reinos e viver sob o signo da luz. Nós, seres humanos, não fomos feitos para vagar errantes e distantes da razão; ao contrário, nossos pares de olhos são símbolos perenes de que necessitamos sempre espiar além deles, compreendendo os elementos de nossa própria essência.

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

PATRONO


Agora sou atemporal. Explicando:

- Estar Acadêmico de um sodalício é ser imortal.

- Ter o nome em uma Cadeira de uma Acadêmica considero atemporal.

Ao receber o Ato Declaratório de Patrono da Cadeira 36 da Academia de Letras e Artes de Plácido de Castro, localizada no Estado do Acre, das mãos de Eliane Mariath - Presidente da ALAP. Fiz seguinte declaração: "... desconfio do trivial e da aparência singela. Não aceito o que é de hábito natural e entendo ser dispensável relatar que aqui, ali ou acolá colho algumas contrariedades. Não cultuo a ingratidão. Em agradecimento renovo o meu gesto de reverência a Deus e a Fada Madrinha da Cultural em agradecimento por tudo o que foi permitido a mim produzir.


Muitas lutas, surpresas e realizações... mas sinceramente a emoção que hoje invade corpo e alma transcendem a qualquer expectativa acadêmica. Como estou vivo, acordado e energizado ter o nome indicado e aceito Patrono de uma Academia é algo indescritível. Haja adrenalina! Estar acadêmico é ser imortal... Ser Patrono de Cadeira de uma Academia é ser atemporal.
Num futuro que considero incerto, sem jactância, ao exalar o último suspiro, espero estar apto para dizer: - Cumpri o meu dever. Cumpri a minha missão. Até lá envidarei esforços no sentido de não decepcionar e corresponder às expectativas e confiança depositada.


Finalizo desejando que a Paz, a Harmonia e a Concórdia sejam os principais componentes empregados na formatação de nossos relacionamentos interpessoais.


Muito Obrigado!"

domingo, 31 de agosto de 2008

domingo, 24 de agosto de 2008

II CONCURSO DE CRÔNICAS - 2005 - APALA

Diploma e Medalha Raquel de Queiroz
Primeiro Lugar
II CONCURSO DE CRÔNICAS - 2005
Tema - Alma Gêmea

TAMBÉM NÃO TENHO RESPOSTA...

Lendo a Revista Época - 7 de julho de 2008 - pág. 146 - tomei conhecimento em NOSSA ANTENA da matéria assinada por Ruth de Aquino - Diretora da sucursal de Época no Rio de Janeiro - raquino@edglobo.com.br, sob o título: "A mãe de Daniel e a mãe de Pedro":
"Porque um sargento gay é algemado e um PM assassino sai livre da delegacia, dando o.k. do carro para a platéria como se fosse uma celebridade?"
Também não tenho resposta... e não quero fazer considerações...

sábado, 23 de agosto de 2008

sábado, 2 de agosto de 2008

ANTES QUE ELAS CRESÇAM

Artigo publicado no livro de minha autoria "UMA CONVERSA DIFERENTE"
- FBN 401.883 L 749 Fl 3 -
Prefácio Crystyane Fonseca de Andrade - Revisão Flávia Figueiredo Torres
1a. edição virtual - disponibilizada em http://cayru.com.br/

Lendo o exemplar de junho de 2003 do jornal "O Compasso de Rio Claro", órgão de divulgação da Loja Maçônica "Lealdade e Luz nº 2294", tive a minha atenção para o artigo de Affonso Romano de Sant'Anna - lido pela cunhada Josiani, durante homenagem ao Dias das Mães. Sem outros comentários passo a transcrevê-lo:
"Há um período em que os pais vão ficando órfãos de seus próprios filhos. É que as crianças crescem independentes de nós, como árvores tagarelas e pássaros estabanados. Crescem sem pedir licença à vida. Crescem com uma estridência alegre e, às vezes com alardeada arrogância. Mas não crescem todos os dias, de igual maneira, crescem de repente.
Um dia sentam-se perto de você no terraço e dizem uma frase com tal maneira que você sente que não pode trocar as fraldas daquela criatura.
Onde e como andou crescendo aquela danadinha que você não percebeu?
Cadê a pazinha de brincar na areia, as festinhas de aniversário com palhaços e o primeiro uniforme do maternal?
A criança esta crescendo num ritual de obediência orgânica e desobediência civil.
E você está agora ali, na porta da discoteca, esperando que ela apenas cresça, mas apareça...
Ali estão muitos pais ao volante, esperando que elas saiam esfuziantes e cabelos longos, soltos.
Entre hanburgueres e refrigerantes nas esquinas, lá estão nossos filhos com uniforme de sua geração.
Esse são os filhos que conseguimos gerar e amar, apesar dos golpes dos ventos, das colheitas, das notícias e da ditadura das horas.
E eles cresceram meio amestrados, observando e aprendendo com nossos acertos e erros. Principalmente com os erros que esperamos que não se repitam.
Há um período em que os pais vão ficando um pouco órfãos dos filhos. Não mais os pegaremos nas portas das discotecas e das festas. Passou o tempo do ballet, do inglês, da natação e do judô. Saíram do banco de trás e passaram para o volante de suas próprias vidas.
Deveríamos ter ido mais à cama deles ao anoitecer para ouvirmos sua alma respirando conversas e confidencias entre os lençóis da infância, e os adolescentes cobertores, daquele quarto cheio de adesivos, pôsteres, agendas coloridas e músicas ensurdecedores. Não os levamos suficientemente ao playcenter, ao shopping, não lhes demos suficientes hamburgueres e refrigerantes, não lhes compramos todos os sorvetes e roupas que gostaríamos de ter comprado. Eles cresceram sem que esgotássemos neles todo o nosso afeto.
No princípio iam à casa de praia entre embrulhos, bolachas e amiguinhos. Sim havia as brigas dentro do carro, a disputa pela janela, os pedidos de chicletes e cantorias sem fim.
Depois chegou o tempo em que viajar com os pais começou a ser um esforço, um sofrimento, pois era impossível deixar a turma e os primeiros namoros. Os pais ficaram exilados dos filhos, tinham a solidão que sempre desejaram, mas, de repente, morriam de saudades daqueles "pestes".
Chega o momento em que só nos resta ficar de longe torcendo e rezando muito para que eles acertem nas escolhas em busca da felicidade. E que a conquistem do modo mais completo possível. O jeito é esperar: qualquer hora podem nos dar netos. O neto é a hora do carinho ocioso e estocado, não exercido nos próprios filhos e que não podem morrer conosco.
Por isso os avós são tão desmensurados e distribuem tão incontrolável carinho.
Os netos são a última oportunidade de reeditar o nosso afeto. Por isso é necessário fazer alguma coisa a mais, antes que eles cresçam
".

Seja como for, não sou saudosista e acho esquisito falar ou escrever "no meu tempo", porque nosso tempo " deve ser sempre hoje". Mas algumas coisas confesso contemplar com grande susto, não é só a corrupção, a confusão, a violência e as drogas que grassam em nossa sociedade. Refiro-me a educação e a cultura. Não sei se é para rir ou chorar... Mas será que ainda há tempo para revertermos o nivelamento por baixo?

No trato com os adolescentes realmente esta é uma conversa diferente que julgo merecer um momento de introspecção... Principalmente se considerarmos como aplicavéis as palavras de Clarence Darrow:

"A primeira metade de nossas vidas é estragada pelos pais, a segunda por nossos filhos".

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

UM SONHO

Não basta fazer o melhor... Acredito que uma pessoa só pode se sentir completamente realizada quando tem oportunidade de exercitar o compartilhar com seus pares. Essa crença foi e continua sendo a minha maior motivação de vida... Busco sempre valorizar as ações das pessoas com quem mantenho contato... Antes porém que qualquer conceito possa ser emitido com base nesta declaração, permito-me destacar que nos meus tempos de trabalho ativo procurei pautar os meus atos e gestos na máxima de Confúcio:
"Trata teus superiores sem lisonja e teus subalternos sem desprezo".
Posicionamento que rendeu alguns embaraços funcionais... E continua rendendo... Afinal sempre que a oportunidade se apresenta fico do lado dos "excluídos".
Encontramos na Constituição da República Federativa do Brasil no Art. 5º:
"Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade..."
Exercitar a cidadania, respeitar direitos e a dignidade humana, em verdade, às vezes é um grande sonho ou um projeto irrealizável. A realidade da vida é bem diferente do sonho. Muito diferente daquele sonho retratado por Casimiro de Abreu em "OBRAS":
"O mundo um sonho dourado. A vida um hino d'amor".
O sistema social é frio... Não tem sentimento... Para fazer um sonho tornar-se realidade não considere tão somente a capacidade física, há de ter-se vontade indomável... Há de saber ousar e, infelizmente, ser até "oportunista". O vocábulo "oportunista" é aqui aplicado como parte integrante do sistema político em que a tática principal é a acomodação às circunstâncias, uma transigência adequada nos fatos e acontecimentos momentâneos, para a consecução de alguns objetivos.
A realização de um ideal passa pela página de um sonho... Pelo flertar com o silêncio... Com situações fantasiosas e outras regressivas de comportamento... Será que tudo pode ser considerado como reflexo de dedicação, persistência e ação? Dependendo de suas próprias convicções. Sim. Mas a realização poderá contar, também, com uma pequena dosagem de sorte, predefinição do destino et cetera
Como, na maioria das vezes, os nossos atos detêm um percentual de "interesse", podemos dizer que o pequeno ajuda o pequeno e o grande só ajuda o grande... Houvesse inversão nos relacionamentos... Muitos sonhos seriam realidade... Deixando de lado qualquer tendência ao aforismo, sem sombra de dúvidas, o início está em você...

('•.¸(`'•.¸ ¸.•'´)¸.•')
«`'• Você vê coisas e diz: por quê?
(.•'´(¸.•'´ Mas eu sonho coisas que existiram e digo:
(.•'´Por que não?
George Bernard Shaw•'´»

segunda-feira, 28 de julho de 2008

ESPERANÇA

Esperança
Sentimento que não sufoca
Que transforma deserto em jardim
Esperança
Sentimento esquisito
Gigante por natureza
Esperança
A última a morrer
Ai de mim
Se não fosse a Esperança.

domingo, 27 de julho de 2008

DIA DO ESCRITOR - 25 DE JULHO

Dia do Escritor
25 de julho

A escrita é como um rio na enchente
Nasce, caminha, flui como vertente
Vasculha nas palavras cada espaço
Como um rio desemboca cria laço

Em cada metáfora tece a trama
Em ostentação seu cérebro clama
Motes variados desfilam rápidos
Num dedilhar de pensamentos sápidos

Verseja na poesia intimidade lirismo
Outras na sutileza ao modernismo
Na prosa a pena debulha palavras
Em contos, crônicas extensas lavras

Na sofisticação em palavras vãs
Que desnorteiam as mentes sãs
Chora a palavra desvirtua o terço
Clama a cultura da pureza o berço

“EU” palavra fui feita para dizer
Com a simplicidade do saber
Escrevam-me com claridade, luz
Sou simplicidade tema que conduz

Gritem, bravos escritores e poetas
Como uma luneta mire suas metas
No vasto alarde sou da literatura
A palavra transparência da leitura.

Sonia Nogueira *sogueira*

sábado, 19 de julho de 2008

VIVAS AO PROGRESSO!

A internet é um veículo que tornou possível adquirir-se o conhecimento por outras formas que não a tradicional.
Por exemplo, a Escola de Ensino a Distância. Também chamada de teleducação que é uma modalidade de ensino que permite ao aluno estar fisicamente distante do ambiente formal do ensino-aprendizagem. A interligação (conexão) entre as duas partes do ensino se dá por tecnologias, como a internet, mas também podem ser utilizados o correio, a TV, o CD-ROM, transmissões via satélite, entre outras semelhantes e/ou disponíveis.
Verdade seja dita: - Hoje, os trabalhos escolares são feitos às dez horas da noite, na véspera da entrega: copia-se, cola-se, imprime- entrega-se ou envia-se por mensagem eletrônica.
Outra verdade incontestável é a massificação do ensino e a sua comercialização. Faculdades/Universidades em quase todos os "shoppings" ou em cada esquina.
Do artigo 91... passamos ou evoluímos para o supletivo... posteriormente, substituídos, pelo Fundamental e Médio em seis meses sem freqüência. Da graduação superior tradicional evoluímos ou passamos para a graduação tecnológica (dois anos ou um pouco mais) com direito a fazer pós-graduação.
Considero-me um progressista... e apesar dos quase 70 anos de idade, não fico fazendo julgamentos do tipo: o mundo está perdido, etc etc
A discriminação que não é só racial. Existe nas mais escabrosas vertentes: sexo, idade, condição social, grupos de amizades, forma de vestir, forma de transporte etc etc. Conheço pessoas que discriminam a graduação tecnológica e principalmente quanto ao ensino na modalidade EaD (Ensino a Distância).
De 1990 para cá, depois de completar 50 anos de idade, tenho procurado me adaptar ao ritmo da vida moderna. Aprendi os conceitos necessários à operação de um computador... hoje domino o básico em alguns programas, entre outros, Office (word e excel), Corel, PhotoShop.
Estou vivo, acordado e energizado. Dou vivas ao progresso!

A VIDA CONTINUA...


quarta-feira, 16 de julho de 2008

segunda-feira, 14 de julho de 2008

quarta-feira, 9 de julho de 2008

sábado, 5 de julho de 2008

O INVERNO DA VIDA...


Na vida criei meu enredo
Não me condenei ao degredo
Na orelha um galho de arruda
Se digo não estou feliz...
Minto!!!
Aconteça o que acontecer...
Estou feliz.
O tempo rápido passa
Da primavera ao inverno
de minha vida...
Agora os meus cabelos
estão nevando...