Sou mais um entre tantos...

Sou mais um entre tantos...
A FILOSOFIA E A MISSÃO DESTE BLOG INCLUI A DIFUSÃO DA CULTURA E A UTILIDADE PÚBLICA.

"Cada pessoa, por si só, promove a sua indispensável transformação interna, transmutando o pesado chumbo do seu emocional, no ouro reluzente da Evolução Mental."

Fé Esperança Caridade

Fé Esperança Caridade
Fé Esperança Caridade - Virtudes chamadas teologais porque têm a Deus por objeto de modo imediato. Pela fé nós aderimos ao que Ele revelou; pela esperança tendemos a Deus apoiando-nos em seu socorro para chegar a possuí-Lo um dia e vê-Lo face a face; pela caridade amamos a Deus sobrenaturalmente mais do que a nós mesmos. A minha Fé não é achar que Deus fará o que eu quero, mas basea-se na certeza de que Ele fará por mim tudo o que preciso.

Verbete Wikipédia

Verbete Wikipédia
Verbete Wikipédia

O BRASÃO

O BRASÃO
Visite o blog do Barão de Burity clicando no Brasão.
Meus livros são minha essência.

ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA.

ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA.
ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA - DOWNLOAD? POR FAVOR, CLIQUE NO TÍTULO.
CRÉDITO DE IMAGENS
Algumas obtidas na internet e formatadas com programas "freeware".


As pessoas passam, as obra permanecem. Ninguém é obrigado a gostar de alguém, mas existe uma coisa que se chama: respeito. Nunca sabemos onde a vida nos levará. Tropeços... Valores... Reviravoltas... No final do caminho, as diversidades mais difíceis, não nos matam - nos tornam mais forte.
Estou de bem com a vida... Faço do escrever a minha terapia ocupacional.
Acima de tudo agradeço a Deus por tudo que tenho e sou. Não há como renegar as minhas origens.
Servir à Marinha:
Uma visão!
Um sonho!
Uma vida!



sexta-feira, 10 de julho de 2009

ALGUMAS CONSIDERAÇÕES...

Algumas considerações ...

Segundo o Dicionário Eletrônico Aurélio:

Crítica
Filos. Reconhecimento do valor de uma idéia ou de um fenômeno, i. e., do grau de perfeição deles relativamente a um fim determinado; crítica.

Criticador
Aquele que tem por costume criticar, dizer mal de alguém ou de algo.

Crítica... crítica... contínuo não entendendo: - Qual razão para que algumas pessoas façam da crítica uma norma de conduta? Estou falando da crítica pela crítica que deixa qualquer grupo vulnerável e semeia a discórdia. Ou existe alguma dúvida quanto ao fato de que a administração é profundamente influenciada pelas pressuposições implícitas ou explícitas a respeito da natureza das pessoas? A disciplina e a motivação decorrem de algumas pressuposições. Por exemplo, McGregor identificou dois conjuntos de pressuposições, aos quais denominou Teoria X e Teoria Y.
A Teoria X - com uma abordagem tradicional e envolvendo as convicções negativas a respeito das pessoas ou seja com convicções negativas a respeito das pesssoas com moldagem em características autocráticas e impositivas. A Teoria Y -a abordagem moderna - envolve convicções positivas que levam assumir uma postura democrática e consultiva.
Na Teoria X - predomina a manipulação das pessoas, a coação e o temor. Por ela as pessoas são tidas indolentes e preguisoças e, portanto, precisam ser coagidas e ameaçadas.
Qual das Teorias você exercita? Eu prefiro a Teoria Y.

Respeito todas as opiniões. Sei ouvir. Mas que a crítica pela crítica, por excelência, é perniciosa. Se você der ouvido ao criticador, acabará desaguando naquele ping-pong de palavras para lá... palavras para cá... eu não disse isto... eu não quis dizer isto... não foi bem assim...
A quem interessar possa: - Com quase 70 anos de vida, cheguei à conclusão: - No trato com o costumeiro criticador, exprimo os versos populares: - " Era, não era, andava lavrando e tinha um filho chamado Fernando". Pessoas há que não compreendem o alcance desta filosofia. Ficam obtusos olhando para mim. "Era, não era andava lavrando e tinha um filho chamado Fernando. Cagando e andando e sendo aplaudido". Algo parecido com a filosofia do cavalo no desfile de 7 de Setembro.

A crítica, quando tiveres de fazê-la, deve ser positiva, com espírito de colaboração, construtiva, e nunca às escondidas do interessado. Se não, é uma traição, uma murmuração, uma difamação, talvez uma calúnia... e, sempre, uma falta de honradez. (Josemaria Escrivá)

Finalizando:

Quando apontares com um dedo, lembra-te de que outros três dedos teus apontam para ti.
(Provérbio inglês)