Sou mais um entre tantos...

Sou mais um entre tantos...
A FILOSOFIA E A MISSÃO DESTE BLOG INCLUI A DIFUSÃO DA CULTURA E A UTILIDADE PÚBLICA.

"Cada pessoa, por si só, promove a sua indispensável transformação interna, transmutando o pesado chumbo do seu emocional, no ouro reluzente da Evolução Mental."

Fé Esperança Caridade

Fé Esperança Caridade
Fé Esperança Caridade - Virtudes chamadas teologais porque têm a Deus por objeto de modo imediato. Pela fé nós aderimos ao que Ele revelou; pela esperança tendemos a Deus apoiando-nos em seu socorro para chegar a possuí-Lo um dia e vê-Lo face a face; pela caridade amamos a Deus sobrenaturalmente mais do que a nós mesmos. A minha Fé não é achar que Deus fará o que eu quero, mas basea-se na certeza de que Ele fará por mim tudo o que preciso.

Verbete Wikipédia

Verbete Wikipédia
Verbete Wikipédia

O BRASÃO

O BRASÃO
Visite o blog do Barão de Burity clicando no Brasão.
Meus livros são minha essência.

ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA.

ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA.
ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA - DOWNLOAD? POR FAVOR, CLIQUE NO TÍTULO.
CRÉDITO DE IMAGENS
Algumas obtidas na internet e formatadas com programas "freeware".


As pessoas passam, as obra permanecem. Ninguém é obrigado a gostar de alguém, mas existe uma coisa que se chama: respeito. Nunca sabemos onde a vida nos levará. Tropeços... Valores... Reviravoltas... No final do caminho, as diversidades mais difíceis, não nos matam - nos tornam mais forte.
Estou de bem com a vida... Faço do escrever a minha terapia ocupacional e dedilho os primeiros acordes em teclado Yamaha.
Acima de tudo agradeço a Deus por tudo que tenho e sou.

domingo, 20 de junho de 2010

PARA AQUELES QUE APRECIAM POESIAS...




Amor Perdido

Embora seja difícil expressar,
por causa das emoções conflitantes,
a dor de um coração partido
pelo drama de um ente amado
perdido nas mãos da morte.

Não é possível consolar,
nada poderá superar,
a dor e a tristeza do sentimento
da perda do amor que partiu
perdido nas mãos da morte.

A lembrança pode ajudar,
a aliviar a dor de perder
o amor que foi encontrado,
como a razão de viver,
perdido nas mãos da morte.

Talvez não tenha sido conhecida,
a profundidade desse amor,
até que a dura realidade
nos traz a saudade cruel do amor
perdido nas mãos da morte.

Na descoberta do amor,
sempre esquecemos que a vida
é transitória e efêmera,
e que o amor encontrado pode ser
perdido nas mãos da morte.

Porém o amor perdido pode deixar um saber,
que o consolo pode trazer,
que quando chegar nosso dia de partir,
estaremos junto a esse ser adorado
perdido nas mãos da morte.

Eduardo Gomes de Souza.

Ao receber a autorização do Autor, Escritor e Poeta, para publicar para o blog: AMOR PERDIDO. Deparei-me com palavras que não posso deixar de transcrever:
"Meu Caro Amigo, autorizar? Devo é agradecer! Claro, faça o que você quiser, pode apresentar, publicar, etc., o que é feito com a inspiração dada pelos Deuses das Artes, é para ser divulgado sem obstáculos. Meu Amigo, quando criamos algo bonito e bom, não criamos por nós mesmos, mas porque recebemos a inspiração divina, a iluminação que é dada a alguns predestinados, escolhidos para trazer ao mundo beleza e alegria. Temos que agradecer muito por sermos escolhidos pelos Deuses das Artes e das Letras.
Continuemos nossos caminhos, alguns irão ficar as margens atirando pedras ou colocando-as no caminho nos caminhantes, mas ficarão sempre as margens, nunca serão capazes de empreender a caminhada, e por isso nunca terão o prazer de chegar a um destino, de cumprir uma missão, pois ficar as margens atirando pedras ou colocando-as no caminho e o seu destino e a sua missão. Eles, ao final irão, pela ignorância de seus espíritos tacanhos, acreditar que foram muito importantes em suas vidas, e até foram, pois são esses que nos fortalece e nos tornam persistentes em nosso caminhar. Cada obstáculo superado, engrandece a alma do caminhante!"
↓→↓↑↓←↓

Escritor e Poeta, Amigo e Confrade Eduardo Gomes de Souza, as suas palavras incentivam a minha caminhada. São palavras que ajudam a formatar, dentro de mim, uma couraça contra os arrogantes, os presunçosos e falsos donos da verdade.