Sou mais um entre tantos...

Sou mais um entre tantos...
A FILOSOFIA E A MISSÃO DESTE BLOG INCLUI A DIFUSÃO DA CULTURA E A UTILIDADE PÚBLICA.

"Cada pessoa, por si só, promove a sua indispensável transformação interna, transmutando o pesado chumbo do seu emocional, no ouro reluzente da Evolução Mental."

Fé Esperança Caridade

Fé Esperança Caridade
Fé Esperança Caridade - Virtudes chamadas teologais porque têm a Deus por objeto de modo imediato. Pela fé nós aderimos ao que Ele revelou; pela esperança tendemos a Deus apoiando-nos em seu socorro para chegar a possuí-Lo um dia e vê-Lo face a face; pela caridade amamos a Deus sobrenaturalmente mais do que a nós mesmos. A minha Fé não é achar que Deus fará o que eu quero, mas basea-se na certeza de que Ele fará por mim tudo o que preciso.

Verbete Wikipédia

Verbete Wikipédia
Verbete Wikipédia

O BRASÃO

O BRASÃO
Visite o blog do Barão de Burity clicando no Brasão.
Meus livros são minha essência.

ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA.

ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA.
ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA - DOWNLOAD? POR FAVOR, CLIQUE NO TÍTULO.
CRÉDITO DE IMAGENS
Algumas obtidas na internet e formatadas com programas "freeware".


As pessoas passam, as obra permanecem. Ninguém é obrigado a gostar de alguém, mas existe uma coisa que se chama: respeito. Nunca sabemos onde a vida nos levará. Tropeços... Valores... Reviravoltas... No final do caminho, as diversidades mais difíceis, não nos matam - nos tornam mais forte.
Estou de bem com a vida... Faço do escrever a minha terapia ocupacional.
Acima de tudo agradeço a Deus por tudo que tenho e sou. Não há como renegar as minhas origens.
Servir à Marinha:
Uma visão!
Um sonho!
Uma vida!



quarta-feira, 11 de agosto de 2010

RELEMBRANDO...

Ne me quitte pas é uma canção francôfona, composta, escrita e cantada por Jacques Brel, publicada em 1959 pela Warner-Chappell.
Segundo Brel, a música não é sobre o amor, mas sobre a covardia dos homens.

Dito isto, entendo como pertinente relembrar parte daquela canção:

Ne Me Quitte Pas
Jacques Brel


...Il faut oublier
...Devemos esquecer
Tout peut s'oublier
Tudo que pode ser esquecido
Qui s'enfuit déjà
Que já tenha passado
Oublier le temps
Esquecer os tempos
Des malentendus
Dos mal-entendidos
Et le temps perdu
E os tempos perdidos
A savoir comment
Tentando saber como
Oublier ces heures
Esquecer as horas
Qui tuaient parfois
Que às vezes mataram
A coups de pourquoi
Com sopros de porque
Le coeur du bonheure
O coração de felicidade...
Finalizando, deixo a seguinte pergunta:
- Será que quando deixamos de nos preocupar com a impressão que causamos nos outros, em verdade, damos os primeiros passos em direção à nossa liberdade?