Sou mais um entre tantos...

Sou mais um entre tantos...
A FILOSOFIA E A MISSÃO DESTE BLOG INCLUI A DIFUSÃO DA CULTURA E A UTILIDADE PÚBLICA.

"Cada pessoa, por si só, promove a sua indispensável transformação interna, transmutando o pesado chumbo do seu emocional, no ouro reluzente da Evolução Mental."

Fé Esperança Caridade

Fé Esperança Caridade
Fé Esperança Caridade - Virtudes chamadas teologais porque têm a Deus por objeto de modo imediato. Pela fé nós aderimos ao que Ele revelou; pela esperança tendemos a Deus apoiando-nos em seu socorro para chegar a possuí-Lo um dia e vê-Lo face a face; pela caridade amamos a Deus sobrenaturalmente mais do que a nós mesmos. A minha Fé não é achar que Deus fará o que eu quero, mas basea-se na certeza de que Ele fará por mim tudo o que preciso.

Verbete Wikipédia

Verbete Wikipédia
Verbete Wikipédia

O BRASÃO

O BRASÃO
Visite o blog do Barão de Burity clicando no Brasão.
Meus livros são minha essência.

ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA.

ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA.
ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA - DOWNLOAD? POR FAVOR, CLIQUE NO TÍTULO.
CRÉDITO DE IMAGENS
Algumas obtidas na internet e formatadas com programas "freeware".


As pessoas passam, as obra permanecem. Ninguém é obrigado a gostar de alguém, mas existe uma coisa que se chama: respeito. Nunca sabemos onde a vida nos levará. Tropeços... Valores... Reviravoltas... No final do caminho, as diversidades mais difíceis, não nos matam - nos tornam mais forte.
Estou de bem com a vida... Faço do escrever a minha terapia ocupacional.
Acima de tudo agradeço a Deus por tudo que tenho e sou. Não há como renegar as minhas origens.
Servir à Marinha:
Uma visão!
Um sonho!
Uma vida!



quinta-feira, 21 de maio de 2015

DIA MUNDIAL DA DIVERSIDADE CULTURAL

Foto de Ministério do Turismo.



Mensagem Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento, 21 de maio de 2015.
 
Há setenta anos, os fundadores da UNESCO expressaram uma simples convicção: a incompreensão mútua dos povos exacerbou a desconfiança e o mal-entendido entre as nações, a busca pela paz requer o fortalecimento do conhecimento recíproco entre as culturas e os povos, de modo melhorar o entendimento mútuo.
A diversidade cultural é o nosso patrimônio comum e a maior oportunidade diante da humanidade. Ela é uma promessa de renovação e dinamismo, uma força motriz de inovação e desenvolvimento. É também um convite ao diálogo, à descoberta e à cooperação. Em um mundo tão diverso, a destruição de culturas é um crime, e a uniformidade é um impasse: nosso objetivo é valorizar, em um único movimento, a diversidade que nos enriquece e os direitos humanos que nos unem.
Esta ligação irredutível entre a diversidade cultural e os direitos humanos foi fortemente lembrada com a adoção, em 2001, logo após a destruição das estátuas de Buda de Bamiyan, no Afeganistão, da Declaração Universal da UNESCO sobre a Diversidade Cultural. Esse texto é uma bússola para vivermos juntos em um mundo globalizado. Assim, ele reafirma que o respeito pela diversidade cultural e o respeito pelos direitos humanos são inseparáveis.
Ainda hoje, a diversidade cultural é atacada por extremistas violentos que danificam o patrimônio e perseguem as minorias. Esses crimes reforçam ainda mais a nossa convicção de que os inimigos da dignidade humana sempre procurarão destruir a diversidade cultural, porque ela é o símbolo da liberdade da mente e da criatividade infinita do ser humano. É essa ligação que devemos defender. Em reação a todos aqueles que procuram banir a diferença e a pluralidade de ideias, opiniões e crenças, devemos proteger a liberdade por meio da riqueza de nossas culturas e de nossas expressões criativas.
Este é o significado deste Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento. É uma ocasião para liberar o potencial criativo das nossas diferentes línguas e tradições – e para que essas diferenças nos enriqueçam e fortaleçam, ao invés de nos dividir. As palavras da Constituição da UNESCO, elaborada há 70 anos, não envelhecerem: o diálogo pode vencer todos os mal-entendidos e abrir um horizonte infinito de possibilidades para a paz e o desenvolvimento.