Sou mais um entre tantos...

Sou mais um entre tantos...
A FILOSOFIA E A MISSÃO DESTE BLOG INCLUI A DIFUSÃO DA CULTURA E A UTILIDADE PÚBLICA.

"Cada pessoa, por si só, promove a sua indispensável transformação interna, transmutando o pesado chumbo do seu emocional, no ouro reluzente da Evolução Mental."

Fé Esperança Caridade

Fé Esperança Caridade
Fé Esperança Caridade - Virtudes chamadas teologais porque têm a Deus por objeto de modo imediato. Pela fé nós aderimos ao que Ele revelou; pela esperança tendemos a Deus apoiando-nos em seu socorro para chegar a possuí-Lo um dia e vê-Lo face a face; pela caridade amamos a Deus sobrenaturalmente mais do que a nós mesmos. A minha Fé não é achar que Deus fará o que eu quero, mas basea-se na certeza de que Ele fará por mim tudo o que preciso.

Verbete Wikipédia

Verbete Wikipédia
Verbete Wikipédia

O BRASÃO

O BRASÃO
Visite o blog do Barão de Burity clicando no Brasão.
Meus livros são minha essência.

ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA.

ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA.
ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA - DOWNLOAD? POR FAVOR, CLIQUE NO TÍTULO.
CRÉDITO DE IMAGENS
Algumas obtidas na internet e formatadas com programas "freeware".


As pessoas passam, as obra permanecem. Ninguém é obrigado a gostar de alguém, mas existe uma coisa que se chama: respeito. Nunca sabemos onde a vida nos levará. Tropeços... Valores... Reviravoltas... No final do caminho, as diversidades mais difíceis, não nos matam - nos tornam mais forte.
Estou de bem com a vida... Faço do escrever a minha terapia ocupacional e dedilho os primeiros acordes em teclado Yamaha.
Acima de tudo agradeço a Deus por tudo que tenho e sou.

sábado, 3 de novembro de 2007

VOCÊ ACREDITA EM PORTAS FECHADAS?

Pouco importa qual será a sua resposta.

Uma lenda medieval conta a história de um prisioneiro na masmorra do castelo de seu inimigo. A frustração de estar encarcerado era insuportável. Na medida em que as semanas se transformavam em meses e os meses em anos, o pobre coitado acostumou-se à infeliz existência que um destino cruel lhe havia determinado.
Durante mais de 20 anos ele se destruiu em sua cela. Ele nunca via ninguém. Mesmo o guarda, que lhe passava a comida através de uma pequena abertura na porta, permanecia desconhecido. Certo dia, o prisioneiro envelhecido caminhava no chão gelado de sua cela, absorto
em seus pensamentos, quando parou em frente da porta e, distraidamente, girou a maçaneta. Houve um rangido forte e lentamente a porta se abriu diante do homem muito surpreso. Exclamou o prisioneiro: - Meu Deus! Durante todo este tempo a porta estava destrancada. Eu nunca pensei em abrí-la.

Quão verdadeiro isto soa hoje para muitos de nós. Somos prisioneiros de nós mesmos. Dos nossos medos, nossos preconceitos, de nossos próprios pensamentos e, certamente, dos nossos hábitos.

Costumamos ficar aprisionados em celas que nós mesmos construímos e ao fazê-lo, desperdiçamos dias e até valiosos anos... deixando passar aqueles que poderiam ser, talvez, os melhores momentos de nossas vidas... às vezes deixamos passar até os momentos de relevante progresso material e espiritual.

Na realidade, só precisamos de determinação e de coragem para tentar girar a maçaneta, abrir a porta. Ao fazer isto, poderemos, com certeza, descobrir um novo lado da vida. Um lado desconhecido, mas que provavelmente, poderá tornar-se atraente, criativo.

Dito isto, não precisa responder a pergunta do título. Afinal no jogo da vida: ganhando, perdendo ou empatando, em regra o elenco é um horror. Portanto, apenas faça uma introspecção. A vida é breve. Tudo passa: ilusão e esperança. Triste é perder os sonhos.


Nenhum comentário: