Sou mais um entre tantos...

Sou mais um entre tantos...
A FILOSOFIA E A MISSÃO DESTE BLOG INCLUI A DIFUSÃO DA CULTURA E A UTILIDADE PÚBLICA.

"Cada pessoa, por si só, promove a sua indispensável transformação interna, transmutando o pesado chumbo do seu emocional, no ouro reluzente da Evolução Mental."

Fé Esperança Caridade

Fé Esperança Caridade
Fé Esperança Caridade - Virtudes chamadas teologais porque têm a Deus por objeto de modo imediato. Pela fé nós aderimos ao que Ele revelou; pela esperança tendemos a Deus apoiando-nos em seu socorro para chegar a possuí-Lo um dia e vê-Lo face a face; pela caridade amamos a Deus sobrenaturalmente mais do que a nós mesmos. A minha Fé não é achar que Deus fará o que eu quero, mas basea-se na certeza de que Ele fará por mim tudo o que preciso.

Verbete Wikipédia

Verbete Wikipédia
Verbete Wikipédia

O BRASÃO

O BRASÃO
Visite o blog do Barão de Burity clicando no Brasão.
Meus livros são minha essência.

ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA.

ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA.
ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA - DOWNLOAD? POR FAVOR, CLIQUE NO TÍTULO.
CRÉDITO DE IMAGENS
Algumas obtidas na internet e formatadas com programas "freeware".


As pessoas passam, as obra permanecem. Ninguém é obrigado a gostar de alguém, mas existe uma coisa que se chama: respeito. Nunca sabemos onde a vida nos levará. Tropeços... Valores... Reviravoltas... No final do caminho, as diversidades mais difíceis, não nos matam - nos tornam mais forte.
Estou de bem com a vida... Faço do escrever a minha terapia ocupacional.
Acima de tudo agradeço a Deus por tudo que tenho e sou. Não há como renegar as minhas origens.
Servir à Marinha:
Uma visão!
Um sonho!
Uma vida!



terça-feira, 22 de novembro de 2011

SIMPLES OBSERVAÇÃO...

Na maioria das vezes só entendemos direito o milagre da vida quando deixamos que o inesperado aconteça. Todos os dias Deus nos dá, junto com o sol, um momento em que é possível mudar tudo que nos deixa infelizes.
Muita vezes procuramos fingir que não percebemos esse momento, que ele não existe, que hoje é igual a ontem e será igual  amanhã. Ledo engano! As pessoas não são insubstituíveis, cada pessoa é única. Todos temos uma história que com certeza daria um livro. Uns têm o despreendimento, ousadia ou coragem de escrevê-la.
No viver a vida não existem regras prontas. Cada um tem que descobrir o seu ponto de equilíbrio.
A televisão  como principal entretenimento para "zilhões" de brasileiros discute com muito calor: quantos beijos entre pessoa do mesmo sexo podem ser dados num capítulo ou se um casal gay pode aparecer tomando café de manhã na cama. Fora preconceito! Mas, o que não aparece é alguém lendo um livro.

A grande verdade é que muitos não observam: - Ignorando seus valores tornam-se fácil presa para invasões aculturantes de toda sorte. O resultado na prática é um bando de "dependentes" das "pseudas benesses públicas".

Desejamos mudar o que? Mudar de lugar? Mudar nossos ideais? Mudar nossa maneira de ser? Mudar nosso interior?
Os fatos aí estão e se apresentam de formas incontáveis Uma realidade  de alto preço. O desinteresse pela leitura, diga-se pela cultura, acontece e representa, na prática, a multiplicação de todo tipo de parasitas (corruptos e corruptores) dedicados a prosperar com o dinheiro do Erário Público.

O interessante é que ninguém se declara ou se põe contra o livro, a leitura ou a cultura. Não lendo ou pouco lendo o público pouco pensa, não sente e nem sabe o que é interesse saber.
Às vezes tudo parece como se estivéssemos em um teatro, num terrível e trágico teatro que perturba. Sinal dos tempos? Ou a constatação triste, nua e crua que vivemos um mundo mais tecnológico do que humanista; um mundo de conflitos ideológicos, de incompreensões, de abusos, de desonestidade e de corrupções de toda ordem.

De sã consciência é inadmissível continuarmos convivendo com tantas mazelas. Infelizmente, parte significativa, vive embala pelos "vales" politicamente concedidos. Em síntese, assistimos a banalição e a inversão de valores sociais e no processo de viver a vida deixamos de encontrar o ponto de equilíbrio.

O programa "Profissão Repórter" - TV Globo - 22/11/2011 - mostrou uma realidade que teimamos em não enxergar: a gravidez de meninas entre 11 e 14 anos. Uma mazela social.  São mais de 42.000 casos no norte deste grande Brasil. O problema é uma questão de saúde pública.

Vixe! Brasil cujo dístico ORDEM E PROGRESSO inscrito em sua Bandeira parece uma utopia. E, a inversão de valores já atinge uma das mais antigas instituições a FAMÍLIA.

Qual a sua opinião na abordam desta simples observação? Abrangente que englobou, superficialmente, pitadas de políticas públicas, cidadania, cultura, saúde e a família. Propositalmente foi omitido o assunto  segurança pública.

É inadmissível continuarmos vivendo e acreditando nas falácias daqueles que têm como responsabilidade e dever gerir o nosso país quer no nível federal, estadual ou municipal.

Tudo isto nos conduz, indubitavelmente, a uma profunda reflexão sobre a atualidade e o futuro que nos aguarda. Ou será que não?
Será que estou sendo ca.tas.tró.fi.co?