Sou mais um entre tantos...

Sou mais um entre tantos...
A FILOSOFIA E A MISSÃO DESTE BLOG INCLUI A DIFUSÃO DA CULTURA E A UTILIDADE PÚBLICA.

"Cada pessoa, por si só, promove a sua indispensável transformação interna, transmutando o pesado chumbo do seu emocional, no ouro reluzente da Evolução Mental."

Fé Esperança Caridade

Fé Esperança Caridade
Fé Esperança Caridade - Virtudes chamadas teologais porque têm a Deus por objeto de modo imediato. Pela fé nós aderimos ao que Ele revelou; pela esperança tendemos a Deus apoiando-nos em seu socorro para chegar a possuí-Lo um dia e vê-Lo face a face; pela caridade amamos a Deus sobrenaturalmente mais do que a nós mesmos. A minha Fé não é achar que Deus fará o que eu quero, mas basea-se na certeza de que Ele fará por mim tudo o que preciso.

Verbete Wikipédia

Verbete Wikipédia
Verbete Wikipédia

O BRASÃO

O BRASÃO
Visite o blog do Barão de Burity clicando no Brasão.
Meus livros são minha essência.

ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA.

ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA.
ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA - DOWNLOAD? POR FAVOR, CLIQUE NO TÍTULO.
CRÉDITO DE IMAGENS
Algumas obtidas na internet e formatadas com programas "freeware".


As pessoas passam, as obra permanecem. Ninguém é obrigado a gostar de alguém, mas existe uma coisa que se chama: respeito. Nunca sabemos onde a vida nos levará. Tropeços... Valores... Reviravoltas... No final do caminho, as diversidades mais difíceis, não nos matam - nos tornam mais forte.
Estou de bem com a vida... Faço do escrever a minha terapia ocupacional.
Acima de tudo agradeço a Deus por tudo que tenho e sou. Não há como renegar as minhas origens.
Servir à Marinha:
Uma visão!
Um sonho!
Uma vida!



domingo, 7 de julho de 2013

CIDADANIA


CIDADANIA

            A violência a que estamos submetidos nada mais é do que uma fotografia, sem retoques do tobogã em que se transformou a nossa sociedade. Em nossa sociedade crescem, constantemente, o ódio, a violência e a desigualdade social. Perderam-se os referencias éticos e morais em relação à vida humana e, infelizmente, também, os relacionados com a Pátria e à Família. A maioria das casas é murada, com proteções de ferro. Os edifícios com cercas eletrônicas. Nos veículos usamos película "INSULFILM™".
            Será que existe uma relação entre a pobreza e a marginalidade? O que não podemos é cruzar os braços e achar que a pobreza cumpre prisão perpétua nas mãos da violência. O "Estado" tenta ocupar o espaço perdido para um poder não reconhecido. O trabalho que organizações da sociedade exercitam pelo social, mais do que nunca, deve ser realizado sem os ranços do clientelismo anacrônico. Será que a simples instalação de UPPs (Unidades de Polícia Pacificadoras) resolverão o problema da violência?
            Sonhamos com uma sociedade menos violenta... Sonhamos com o exercício pleno dos direitos civis e políticos, com o desempenho dos deveres do Estado para com os cidadãos... Vivemos com o oposto... Fatores que aumentam o risco de uma pessoa se tornar violenta:
·         Uma primeira infância negligenciada.
·         Uma adolescência sem limites morais e uma convivência com pares violentos.
·         A exclusão social, que por si só, não é um dos únicos motivos para que as pessoas se envolvam  com a criminalidade.
Sem atingir quem manda no crime, não se consegue controlá-lo. Enxuga-se o gelo da violência. Violência que existe há muito tempo, em forma de desigualdade social e jurídica. Violência agora mais evidente e acompanhada de armas, dinheiro e de substâncias entorpecentes, alucinógenas e excitantes. Nas palavras de Alberto Dines, jornalista carioca, publicadas no Jornal do Brasil de 10/5/2003: "O crime organizado é balela. O nome correto é narcoterrorismo".
      Infelizmente não há como negar que a rotina da barbárie de certa forma entorpeceu as grandes metrópoles e avança pelos rincões do país. Isso é grave! Reverter essa pasmaceira eis o grande desafio.
      Enquanto isto, por enquanto, a segurança diante da violência é um artigo de luxo. Enquanto isto,  as pessoas ficam separadas física e psicologicamente, bloqueadas nos prédios, na solidão em meio a computadores.